Kennedy Alencar: ‘Sem base de apoio, Bolsonaro tropeça no Senado’

Bolsonaro

Do blog de Kennedy Alencar:

A desidratação de R$ 76 bilhões na reforma da Previdência, que ocorreu ontem no Senado, é sintoma da falta de uma base política formal do governo Bolsonaro no Congresso. No presidencialismo brasileiro, governar sem coalizão azeitada leva a riscos desse tipo. O plenário do Senado aprovou o texto-base que significava uma economia de R$ 876 bilhões em dez anos. Num destaque, a oposição mudou a regra sobre abono salarial e abaixou o valor da reforma para os R$ 800 bilhões.

Não está sendo aprovada a reforma do presidente Jair Bolsonaro nem do ministro da Economia, Paulo Guedes, mas a do Congresso Nacional. A fixação da idade mínima já estava na proposta do governo Temer, que poderia ter sido implementada há três anos.

O Senado enviou também um recado, dizendo que só votará o segundo turno da reforma quando quiser. Está cobrando as faturas da política de Bolsonaro. O presidente da República não sabe governar nem mostra desejo de aprender. Há uma fábrica de crises no Palácio do Planalto que contribui para essa melhoria lenta da economia brasileira.

Com um cenário internacional nebuloso, será mais difícil o país crescer. Bolsonaro é responsável por dificultar a recuperação econômica, com declarações diárias que são percebidas por parte da população como inapropriadas para um presidente, como já mostrou pesquisa Datafolha. Essas declarações também abalam a imagem do país no exterior e a confiança dos investidores.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!