Lady Night de Tatá Werneck é mais subversivo que Amor e Sexo

Ela (Foto; Mauricio Fidalgo/TV Globo)

Da Folha, durante um animado tiroteio com pistolas d’água, de repente Tatá Werneck grita para sua convidada Alice Braga: “Eu tenho um refém! Ele está fazendo sexo oral em mim.” E de baixo da mesa da apresentadora sai o ator Franco Fanti. Com um absorvente na boca.

Se Danilo Gentili ou Fábio Porchat fizessem uma piada parecida, as portas do inferno se abririam. Mas como é Tatá, tudo é perdoado. E tudo é engraçado.

Com sua terceira temporada atualmente em exibição pelo canal pago Multishow, Lady Night é um programa de humor disfarçado de talk show. Todos os ingredientes do gênero “late night” estão presentes: sofá para os convidados, banda, plateia. E há entrevistas, claro, mas que invariavelmente descambam para a palhaçada.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!