Le Monde descreve como os filhos de Bolsonaro influenciam de forma invasiva a presidência

Os 100 dias do governo Bolsonaro e a influência de seus filhos no governo é destaque no jornal Le Monde.
Fotomotagem RFI

Publicado originalmente no site RFI

O jornal Le Monde publica nesta terça-feira (9) uma longa reportagem sobre a família do presidente Jair Bolsonaro e a crescente influência de seus três filhos mais velhos no governo. Eles são invasivos e o mais explosivo deles, sem dúvida, é o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro, 36 anos, o 02 ou “pitbull”, explica o jornal, de acordo com a descrição do próprio presidente brasileiro.

“Carlos tem todas as senhas dos perfis do chefe de Estado brasileiro nas redes sociais (Twitter, Facebook e Instagram)”, relata o vespertino Le Monde, após Bolsonaro ter confirmado essa regalia na entrevista que concedeu ontem à rádio Jovem Pan.

Respeitando a ordem de preferência e também de importância para o sucesso político aos olhos do pai, Le Monde traz na sequência o perfil do deputado federal Eduardo Bolsonaro, 34 anos, o 03 ou “Ivanka”, como foi apelidado pela imprensa em referência à filha de Donald Trump, “que anda pela Casa Branca sem que se saiba exatamente qual é sua função real”.

“Eduardo ignora as exigências protocolares e faz o papel de ministro das Relações Exteriores”, cita Le Monde. O senador Flávio, 37 anos, o 01, completa o clã Bolsonaro na política. “Mas anda discreto, depois do escândalo de desvio de fundos na campanha envolvendo seu assessor e motorista, Fabrício Queiroz.”

“Traço em comum: todos abominam os direitos humanos”

O traço em comum entre 01, 02, 03 e o pai é que todos abominam os direitos humanos, preferem o “homem honesto”, uma fórmula utilizada por grupos de extrema direita na América do Sul, menciona a correspondente do Le Monde em São Paulo, Claire Gatinois. Além disso, os quatro adoram armas de fogo e defendem a meritocracia favorável aos bem-nascidos no Brasil, em detrimento dos pobres.

Ao lado do pai, os três filhos do presidente animaram nos três primeiros meses de governo a política de “reality show” da cúpula do poder, com tuítes bombásticos, fugindo do enfrentamento com jornalistas profissionais.

Enquanto o Le Monde dá destaque aos homens fortes da extrema direita atualmente no poder, no Brasil, os jornais Le Figaro e Les Echos relatam que a Petrobras escolheu a companhia francesa Engie no processo de venda de 90% do capital da Transportadora Associada de Gás, a TAG. A empresa francesa de energia adquiriu a metade dos gasodutos brasileiros, cerca de 4.500 km, por US$ 8,6 bilhões. Nos próximos anos, a Engie pretende obter um quinto de seus lucros no Brasil, comemora a imprensa francesa.

Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui.

Clique aqui e assine nosso canal no youtube

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!