“Louco, criminoso”: congressistas condenam declarações de Bolsonaro na entrevista ao Ratinho

Bolsonaro e Ratinho

Foram muitos os parlamentares que voltaram a condenar a postura de Jair Bolsonaro ao vê-lo criticar, em entrevista ao Programa do Ratinho, a série de medidas tomadas por gestores estaduais para conter a expansão do coronavírus no país na noite desta sexta-feira (20).

Ao declarar que “certos governadores” estão “tomando medidas extremas”, como fechar igrejas e shoppings, depois de classificar como “gripezinha” o surto em curso no país, Bolsonaro voltou a ser acusado de minimizar a gravidade e o crescimento da doença, que já acumula 15 mortos e quase mil casos confirmados em todos os estados do Brasil.

“A irresponsabilidade objetivamente criminosa de Jair Bolsonaro atrapalhou gravemente a adoção de várias medidas e providências administrativas para conter ao máximo o coronavírus no Brasil. Bolsonaro está indelevelmente contaminado pelo vírus da irresponsabilidade. Diante da absoluta incompetência e negligência do presidente, o governadores estão agindo com responsabilidade no combate ao coronavírus. Louco, irresponsável, criminoso”, disse o vice-líder do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry (MA).

Compartilhando um vídeo que demonstra o crescimento da COVID-19 desde o dia 26 de fevereiro – período em que o presidente ainda considerava “histeria” os alertas sobre o vírus -, o líder do PSB na Câmara, deputado Alessandro Molon (RJ), buscou demonstrar a falta de preocupação do Governo. “Esse vídeo mostra o resultado da inconsequência e da irresponsabilidade de Bolsonaro. Ele continua sem entender a gravidade da situação. Dia 19: 621 casos e 6 mortes confirmadas. Dia 20: os números oficiais, maiores, ainda serão divulgados”, disse, antes da nova atualização oficial.

Preocupada com o pico epidêmico da doença que ainda deve chegar ao Brasil, a deputada federal Alice Portugal (PCdoB-BA) afirmou que a fala do presidente demonstra sua falta de preparo. “Discurso como esse de Bolsonaro, coibindo a iniciativa dos governadores, demonstra sua completa falta de preparo e de sensibilidade. Lamentavelmente, ele quer politizar as medidas necessárias ao invés de apresentar ao país um plano de trabalho para conter o avanço do vírus”.

Deputado federal José Guimarães (PT-CE) classificou como “revoltantes” as novas declarações. “Cada momento Bolsonaro atira contra o Brasil. E o povo vai pagando uma conta que é dele! Sua irresponsabilidade e omissão levou nosso país ao caos”, definiu.

Eleito pelo PSOL, deputado Ivan Valente (SP) pediu a intervenção imediata de Bolsonaro. “Contraria até seu ministro da saúde, que fala em colapso. Irresponsável, criminoso, precisa ser interditado”.

Companheiro de partido, David Miranda (PSOL-RJ) também fez questão de lembrar que as orientações vão contra as recomendações globais a todos os países que enfrentam a COVID-19. “O mundo tomando sérias restrições para conter a pandemia, e o Bolsonaro defendendo aglomeração em culto. Isso é criminoso”

Sem papas na língua, o deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) afirmou que Bolsonaro é um “covarde”. “Bolsonaro escolheu o Ratinho para passar um pano para ele. Aliás, ele só se sente a vontade onde a Secom [Secretaria de Comunicação] vai primeiro e faz o acerto. Pagou, levou. É de uma vagabundagem total, covarde”, disse.

Líder da minoria no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi outra voz a condenar a fala. “É inacreditável! Bolsonaro, inerte e minimizando a pandemia, agora quer atrapalhar os governadores que estão tomando medidas para proteger os seus estados. Estamos à beira do caos e o responsável é o próprio presidente da república!”.

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!