Luciano Hang usou R$ 800 mil da Lei Rouanet para bancar musical sertanejo

Atualizado em 5 de junho de 2022 às 10:52
Luciano Hang
Luciano Hang, o Véio da Havan, usou dinheiro da Lei Rouanet – Foto: Reprodução

Luciano Hang, conhecido como Véio da Havan, usou a Lei Rouanet para investir R$ 800 mil em um musical que conta a história da música sertaneja no Brasil. Os valores foram utilizados por duas vezes – a primeira de R$ 300 mil e a segunda de R$ 500 mil – e foram abatidos do imposto das Lojas Havan, conforme determina a regra.

Segundo o jornalista Guilherme Amado, do Metrópoles, a primeira vez que Luciano Hang utilizou-se dos benefícios da Lei Rouanet para investir no musical foi em 2016, quando garantiu R$ 300 mil de abatimento de impostos, indo diretamente para o evento artístico, em sua primeira temporada.

Em 2018, já sob a tutela de Jair Bolsonaro (PL), o dono das lojas Havan voltou a usar o mesmo recurso para não pagar imposto via Lei Rouanet, mas dessa vez garantindo R$ 500 mil para a terceira temporada do musical, somando assim R$ 800 mil.

As Lojas Havan, de Hang, são conhecidas por investir em apresentações artísticas e culturais no Brasil, mas sempre via Lei Rouanet. Até o momento, a empresa já garantiu o abatimento de R$ 24 milhões para destinar a produções carimbadas pela legislação.

Embora a Lei Rouanet seja um mecanismo autêntico de investimento na Cultura do país, chama a atenção os números de Luciano Hang, um dos mais vorazes defensores de Bolsonaro. O presidente é crítico contumaz da legislação e diz que ela é uma “mamata”.

Clique aqui para se inscrever no curso do DCM em parceria com o Instituto Cultiva

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link