Luciano Huck detona Bolsonaro, diz que votou em branco em 2018 e insinua possível apoio a Lula

Reprodução: Gshow

Luciano Huck segue o padrão Globo de dissimulação.

Aprendeu direitinho como funciona. Depois de manifestar apoio explícito a Bolsonaro, em 2018, agora paga de isentão.

“Quem não se posiciona contra está compactuando com ele”, disse a Pedro Bial nesta terça, 15.

Huck defendeu o golpe contra Dilma em 2016. Apoiou Aécio em 2014 e mandou apagar as fotos com o mineirinho assim que o tucano foi gravado pedindo propina a Joesley Batista, da JBS.

É que ele já mandou apagar as fotos com o genocida, senão sua equipe de marketing ia ter muito trabalho nesta quarta.

Huck também disse que não se furtará de votar em quem defende a democracia. Teria conversado com seu amigo e guru Fernando Henrique sobre Lula?

O apresentador será o substituto de Faustão nos domingos da Globo a partir de 2022.

Por isso desistiu de disputar a Presidência. Em sua participação no Conversa com Bial, falou sobre essa escolha.

Luciano Huck antecipou compartilhando imagens da entrevista no seu Instagram.

Além do contrato e do programa aos domingos, Huck tratará sobre o documentário “2021: O Ano Que Não Começou”, disponível no Globoplay, e sobre o livro “De Porta Em Porta”, que será lançado em breve.