“Me chamaram para a CPI do Lula?”, diz ex-mulher de Bolsonaro

Ana Cristina Siqueira Valle, 2ª esposa de Bolsonaro. Foto: Reprodução/Facebook

Ana Cristina Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro, zombou nesta terça (21) da CPI da Covid.

Ana Cristina faz como Jair Renan Bolsonaro

Ontem, seu filho, Jair Renan, também desafiou a comissão, com um “alô CPI” em um vídeo sobre armas airsoft.

Na rede social Instagram, Ana Cristina compartilhou uma publicação que dizia: “Me chamaram para a CPI do Lula?”.

Segunda ex-mulher do presidente foi convocada na semana passada para explicar sua relação com o lobista da Precisa Medicamentos Marconny Faria.

DCM cobrindo a Operação Spoofing

Conhecida como a ‘advogada das delações’, Beatriz Catta Preta defendeu nomes conhecidos na Operação Lava Jato. Paulo Roberto Costa, que foi diretor de Abastecimento da Petrobras; Augusto Mendonça, dono da Toyo Setal e delator do ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto; e o ex-deputado Eduardo Cunha foram alguns de seus clientes.

Em 2015, ela deixou o país após afirmar que se sentiu ameaçada pelo doleiro Lúcio Funaro. Segundo a advogada criminalista, Funaro apareceu em sua casa e estava sentado no sofá brincando com seus filhos. O doleiro a pressionou para que Cunha não aparecesse nas delações.

Beatriz embolsou milhões nos controversos acordos de leniência em torno da Lava Jato e foi para Miami, segundo pessoas próximas. Ao Jornal Nacional, na época, disse que fechou o escritório e abandonou a carreira no Direito. Em 2021, no entanto, a advogada ainda publica artigos sobre Direito e delação premiada no blog do jornalista Fausto Macedo no Estado de S.Paulo.

Leia a reportagem exclusiva aqui.

“Me chamaram para a CPI do Lula?”, diz ex-mulher de Bolsonaro. Foto: Reprodução