Mães têm salário 7,7% menor do que mulheres sem filhos no Brasil

Imagem reprodução

PUBLICADO NO SITE DA FUNDAÇÃO PERSEU ABRAMO

POR ANA LUÍZA MATOS DE OLIVEIRA

Relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) sobre desigualdades salariais de gênero mostra que em quase todo o mundo as mulheres com filhos têm rendimentos estatisticamente menores que mulheres sem filhos, enquanto homens com filhos têm rendimentos estatisticamente maiores do que homens sem filhos. E isso se repete no caso do Brasil, como mostra a tabela a seguir, retirada da publicação.

Os dados da tabela mostram que mulheres mães no Brasil sofrem uma desigualdade salarial de 7,7% em média, enquanto os homens pais recebem um bônus salarial de 7%. Ou seja: enquanto ter um filho significa que a mulher terá estatisticamente um salário menor que outra mulher sem filhos na mesma condição, para os homens isso tem um efeito contrário.

Este fato traz uma reflexão importante sobre maternidade e paternidade e sobre como, socialmente, os dois papéis são encarados de formas muito diferentes, impactando em grande medida as trajetórias profissionais das mães e dos pais brasileiros.

O relatório também mostra que, de acordo com a metodologia proposta pelas Nações Unidas para atingir o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 8.5 (de atingir, até 2030, salários iguais para trabalhos de valor igual), a diferença salarial global por hora entre homens e mulheres é de 16%, chegando a 34% no Paquistão e -10,3% nas Filipinas.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!