Maia diz que Bolsonaro e Guedes transformaram país num hospício e por isso a Ford se mandou para Uruguai e Argentina

O deputado Arthur Lira (PP) conversa com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM)

Em guerra aberta contra o governo por causa da eleição para a presidência da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM) voltou a atirar em Jair Bolsonaro e Paulo Guedes, ministro da Economia, após a Ford anunciar o fim das operações no Brasil e a transferência para Uruguai e Argentina.

“É uma demonstração da falta de credibilidade do governo brasileiro”, escreveu Maia no Twitter, numa crítica mordaz e contundente.

O parlamentar disse mais: segundo Maria, o fechamento é também resultado da falta “de regras claras, de segurança jurídica e de um sistema tributário racional. O sistema que temos se tornou um manicômio nos últimos anos, que tem impacto direto na produtividade das empresas”, escreveu.

“Espero que essa decisão da Ford alerte o Governo e o parlamento para que possamos avançar na modernização do Estado e na garantia da segurança jurídica para o capital privado no Brasil”.