Mamãe

Mamãe

“FILHO?”

“Mãe.”

“Filho. Faça o que você tem que fazer. Como seu pai. Seu pai sempre fez o que tinha que fazer.”

“Mãe. O papai era tão melhor que eu mais. Tão mais bravo, tão mais corajoso.”

“Filho. Nem sempre eu entendi seu pai. Hoje entendo. E por isso entendo você também.”

“Mãe. Fui lá. Levei flores. Sentei no banco. Fiquei pensando o que ele diria para mim.”

“Filho. Seu pai combateu o bom combate. Como você.”

“Mãe. Se eu disser que lembro dele todos os dias, você acreditaria?”

“Filho. Também me lembro dos meus pais. Sempre. Sua avó Cotinha. Seu avô Maneco.”

“Mãe.”

“Filho.”

“O que você acha que o papai me diria?”

“O mesmo que eu, filho. Faça o que tem que fazer. Você é um legítimo Nogueira. Sabe que não dá para fugir do bom combate.”