‘Me dei mal. Pode pegar meu lugar’: Moro finge que não será candidato e Bolsonaro finge que acredita

Didi Mocó e Mussum

Deu no Estadão que, antes de admitir que não nasceu para ser presidente, mas, sim para militar, Bolsonaro “abriu um sorriso quando o ministro da Justiça, Sergio Moro, afirmou não ter planos políticos”.

Segue a matéria:

Ao lado de Bolsonaro no café da manhã desta sexta-feira, 5, com diretores de jornais e repórteres de TV, Moro foi questionado sobre seu interesse em disputar a Presidência, em 2022.

Diante da negativa, Bolsonaro lembrou que, bem antes de ser eleito, no ano passado, um amigo lhe perguntou sobre os seus projetos para a próxima temporada.

“Ou eu vou ser eleito ou vou para a praia”, respondeu o então candidato do PSL ao Planalto. Bem humorado e sob o olhar atento de Moro, Bolsonaro continuou, rindo: “Me dei mal. Pode pegar o meu lugar.”

Moro é candidatíssimo, como escreveu sua mulher Rosângela no Instagram. 

“Já estou iniciando HOJE campanha para 2022”, avisou.

Moro e o chefe são concorrentes e, daqui a pouco, um sai.

Por enquanto, exercem aquela bonita hipocrisia, homenagem que o vício presta à virtude.

Moro finge que conta a verdade e o Jair finge que acredita.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!