Médico que teve vídeos sobre coronavírus circulando em redes bolsonaristas é desmascarado

PUBLICADO NO VIOMUNDO

POR CONCEIÇÃO LEMES

O médico Anthony Wong é pediatra, focado principalmente em toxicologia.

Em seu currículo Lattes, atualizado pela última vez em 11 de dezembro de 2015,  informa que:

É médico assistente do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da FMUSP.
Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em toxicologia.
É professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
É médico Chefe do Centro de Assistência Toxicológica (CEATOX) do Hospital das Clínicas.
(Ministra) Curso Anual de Toxicologia aos graduandos de áreas biológicas – CEATOX

Frequentemente ele aparece na mídia falando sobre toxicologia, mas dá pitacos sobre outros temas também.

Os da hora são sobre a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Desde a semana passada circula nas redes sociais, blogs e sites bolsonaristas um vídeo que gravou sobre o coronavírus.

É a favor do isolamento vertical defendido pelo presidente Jair Bolsonaro, contra o isolamento social, horizontal, recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde.

O vídeo dura 15 minutos.

De cara, destaca a grife USP:

Olá, amigos do Brasil, eu sou médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo em 1972.
 Portanto, eu tenho quase 48 de medicina ativa. Enfrentei outras epidemias. Você lembra da epidemia de meningite, da década de 70. Eu era o jovem médico então. E muitos outros (sic) depois disso.
Mas agora vamos falar de coronavírus.

Atentem ao avental que utiliza.

Na manga do braço direito, aparece a logomarca do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP)

Na manga do braço esquerdo, a logomarca da própria FMUSP.

Na tentativa de dar mais credibilidade à sua fala, também cita vários autores e estudos.

Só que, uma leitura cuidadosa, mostra dados contraditórios, equivocados.

Por exemplo, aos 7min37, quando menciona o do navio que ficou atracado em Tóquio  com passageiros e tripulantes a bordo, ele diz que a doença pelo coronavírus é contagiosa, mas nem tanto (o negrito é nosso):

(…) 3.500 passageiros e tripulantes., apenas 712 testaram positivo para coronavírus.
Desses apenas 350 tiveram doença leve e 7 faleceram. Ora, se você pegar 7 falecidos, 712 testes positivos, nós temos então 1% de mortalidade.
Mas mais importantes são as outras. Metade das pessoas que testaram positivo tinham a doença e a outra metade assintomática.
Mas mais importante. E nos outros 3.500 tripulantes? Eles não tiveram doença nenhuma.
Ela é contagiosa? Sim, sem dúvida, mas nem tanto.

Só que, na sequência, ao mencionar um estudo de Harvard, ele se refere ao coronavírus, como doença de alta contagiosidade:

Um estudo feito pela Universidade de Harvard na semana passada, numa discussão acadêmica, um deles falava o seguinte: o isolamento, a quarentena, funciona em casos de epidemia, mas não para doenças de alta contagiosidade, como o coronavírus.
Porque com essa alta taxa de contágio quando se institui o fechamento, a quarentena, uma boa parte da população já foi exposta. Então faz sentido nenhum você fechar.

O público-alvo do vídeo são governadores e prefeitos, que estão adotando o isolamento social, horizontal, como estratégia para combater o coronavírus.

Aos 12min39, isso fique evidente quando Anthony Wong faz este apelo, minimizando o risco do coronavírus:

Peço, não, suplico aos governantes deste país que tomem pé da verdadeira dimensão dessa doença
Ele não é tão grave como vocês estão pensando.
As medidas que vocês tomaram de quarentena, de confinamento tão drástica, tão draconiana, trará prejuízo muito maior (sic)  não apenas na economia – isso talvez será recuperado –mas (??) à saúde das pessoas e principalmente saúde dos idosos…nós não podemos ter acesso às coisas básicas (sic).
Fechar as lojas, fechar as escolas, não faz sentido.
Fazer isolamento social, mantenha as pessoas, ensine as pessoas a conviver a uma distância segura – 2 metros.
Tendo restaurante, coloca mesa, sim, mesa, não.
Está na escola, aumenta a distância.
E assim por diante.
As filas, peçam para as pessoas ficarem um pouquinho distantes.
Educação e não medidas draconianas, policialescas, que prejudicam todos: financeiramente. mentalmente e principalmente na aquisição de doenças.
(…)
Senhores dirigentes, a dose do remédio aqui está excessiva. Você poderá matar a população.
Então, solicito as vocês a ter (sic) a posição de não levar ainda mais pânico à população
Você lembra que pânico e medo mata (sic) até   dez mais que o agente causal.

Ou seja:

1) A opinião externada por Wong no vídeo vai contra o que recomenda a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde, como já dissemos acima.

2) Ele é médico do complexo HC/FMUSP.

3) Gravou o vídeo usando avental com logomarcas do Instituto da Criança e da FMUSP.

Diante disso, via whatsapp, consultei o diretor da Faculdade de Medicina da FMUSP, professor Tarcisio Eloy Pessoa de Barros Filho, e por e-mail, a diretora-clínica do Hospital das Clínicas, a dra. Heloisa Bonfá, para saber se a posição do dr. Anthony é da instituição.

Falando em nome de toda a instituição, o assessor de imprensa me contatou e disse textualmente: as opiniões do dr. Wong  não representam a posição institucional do complexo HC e da Faculdade de Medicina da USP.

A propósito 1. Em seu currículo, o médico Anthony Wong diz que é professor da FMUSP.

Pesquisando no quadro de docentes de toda a Faculdade, o nome de Wong não aparece como docente.

A propósito 2. O que leva Anthony Wong a ir contra as evidências científicas? Oportunismo? Alinhamento ideológico a Bolsonaro? Irresponsabilidade ou o quê?

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!