Messer delatou Januário Paludo, ex-integrante da Lava Jato em Curitiba

O doleiro Dario Messer, ao ser preso em São Paulo. Foto: Divulgação

Publicado originalmente pelo GGN:

O doleiro Dario Messer cantou, e acusou em sua delação premiada Januário Paludo, subprocurador da República e ex-integrante da Força Tarefa da Lava Jato de Curitiba. A acusação é de ter recebido propina para proteger o doleiro das investigações no Paraná.

Messer disse que os pagamentos eram feitos ao advogado Antônio Augusto de Figueiredo Basto, um dos principais criminalistas do Paraná e intermediador de vários acordos de colaboração com o juiz Sergio Moro. O valor relatado por Messer em um dos anexos da delação entregue ao Ministério Público Federal do Rio de Janeiro, é de cerca de 50 mil dólares por mês.

Paludo, inspirador do grupo de whatszap da força tarefa da Lava Jato, os Filhos de Januário, fartamente comprovada na Vaza Jato, do The Intercept, teve o assunto encaminhado à Procuradoria-Geral da República em Brasília, que arquivou a investigação.

A CNN conseguiu o anexo da delação, onde Messer, inclusive, menciona as conversas que foram obtidas pela Polícia Federal com sua mulher, Myra, sobre a investigação contra ele. Em resposta, escreve a ela que “Paludo é destinatário de pelo menos parte da propina paga pelos meninos todo mês”.

A emissora procurou a PGR, que disse não comentar assuntos relacionados a cordos de colaboração. Basto duvidou que Messer tenha provas. Paludo mandou nota dizendo que a representação foi arquivada por ser infundada.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!