Mídia francesa impressionada com ataque de Bolsonaro à Globo

Caputra de vídeo do live do presidente Jair Bolsonaro.

Publicado originalmente no RFI

A imprensa francesa desta quinta-feira (31) dá espaço para as repercussões da reportagem da Jornal Nacional que revelou uma possível ligação dos assassinos da vereadora Marielle Franco com a família Bolsonaro. As matérias destacam principalmente o ataque do presidente brasileiro contra a TV Globo.

Desde as primeiras revelações do caso na quarta-feira (30), os sites de notícias franceses publicaram as reações, ressaltando o live de Jair Bolsonaro, direto da Arábia Saudita, onde estava em visita oficial.

O católico La Croix diz em seu título que “Bolsonaro está furioso com a TV Globo que quer destruí-lo”. O mesmo título está no site La Presse, baseado no Canadá. A matéria diz que o ataque “contra o mastodonte da mídia brasileira é surpreendente”. O presidente postou o longo vídeo de 24 minutos em sua conta no Twitter “em Riad, a mais de 11 mil quilômetros de Brasília, no meio da noite, gritando, insultando e as vezes quase chorando”, detalha a matéria.

“A Queda”

O Huffington Post em francês diz que a “raiva de Bolsonaro contra o veículo de comunicação brasileiro lembra muito o filme “A Queda”. Para quem não sabe, “A Queda” é um filme alemão de 2005, que conta o fim do Regime Nazista, do Terceiro Reich, e as últimas horas de Adolf Hitler em Berlim, em 1945.

O conservador Le Figaro também afirma que “Bolsonaro se insurge contra a TV Globo que o ligou ao caso Marielle Franco”. Todas as matérias informam os leitores franceses sobre o conteúdo da reportagem difundida pela televisão brasileira na noite de terça-feira (29), mencionando o nome do presidente na investigação sobre o assassinato da vereadora carioca Marielle Franco, em março de 2018.

A reportagem é baseada no depoimento do porteiro do condomínio onde Jair Bolsonaro tem casa no Rio de Janeiro. O funcionário teria afirmado que o presidente autorizou um dos suspeitos de ter participado do crime a entrar no local. Le Figaro lembra que a morte da vereadora chocou o mundo e que seus assassinos só foram detidos um ano depois, mas que até agora os mandantes do crime não foram identificados.

“Porteiro mentiu”

O Ouest-France, que é um dos jornais mais lidos da França, informa que o depoimento do porteiro do condomínio que provocou a ira do presidente brasileiro foi desmentido pelo Ministério Público Federal do Rio de Janeiro. O texto reproduz o depoimento da procuradora carioca Simone Sibilio, dizendo que o porteiro mentiu. Ela diz ter provas de que o suspeito contactou o comparsa Ronnie Lessa, que também tem uma casa no condomínio, e não Bolsonaro. Lessa também é suspeito no caso, acusado de ser o atirador.

As revelações da TV Globo foram obtidas graças ao vazamento de informações da investigação, e o ministro da Justiça Sergio Moro ordenou a abertura de um inquérito sobre as incoerências que ligaram indevidamente o nome do presidente ao crime. A matéria ressalta que a própria Rede Globo havia levantado as contradições do depoimento do porteiro, mas que esta ressalva na reportagem difundida não foi suficiente para evitar a cólera de Bolsonaro contra um jornalismo que ele chamou de “porco e sem escrúpulos”.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!