Milícia digital derruba o perfil Dino Debochado, que fazia sucesso com críticas ácidas a Bolsonaro. Por Nathalia Bignon

Dono de um humor ácido e irreverente, o perfil Dino Debochado – uma paródia do governador do Maranhão, Flávio Dino – sofreu um duro golpe há algumas semanas. Após ter sua página excluída do Instagram, o personagem que encarna a versão cômica do comunista responsável pelo fim do poderio do clã Sarney no estado desconfia que opositores de Dino possam ter orquestrado a retirada do perfil que já acumulava mais de 40 mil seguidores.

A página, fruto da inquietação de um maranhense, admirador convicto da luta que o governador tem travado no Maranhão, se tornou um enorme sucesso nas redes em pouco mais de um ano de existência.

O ator Bruno Gissoni era um dos que acessavam o perfil, curtia e fazia comentários. Chegou a perguntar para o Dino Debochado se poderia chamá-lo de presidente.

O ator Bruno Gagliasso também seguia o perfil, assim como a cantora Maria Rita.

Uma das postagens que mais repercutiram foi a do vídeo em que Bolsonaro segura um tripé de cinegrafista e, como se estivesse com uma arma, ele diz que vai metralhar os petistas.

Debochado perguntou ao ministro da Justiça, Sergio Moro, se aquela cena poderia ser enquadrada por apologia de crime — Moro havia considerado cartazes de um festival punk apologia de crime.

“O senhor sabe me dizer se isso também é apologia de crime? Estou na dúvida”, provocou.

Vigente até o último dia 3 de março, o perfil foi excluído da web após uma denúncia anônima. De acordo com o administrador, a única notificação enviada pela equipe do Instagram e do Facebook afirmava que o perfil seria suspenso por infringir as diretrizes da redes sociais. No entanto, as regras não foram esclarecidas.

“A maior prova de que esta foi uma denúncia infundada é que logo que a página caiu, criaram outra com as mesmas informações”, conta o dono do perfil, um maranhense que prefere manter-se anônimo.

Desde que surgiu, a sátira teve uma ascensão meteórica e começou a influenciar, de muitas maneiras, a percepção do eleitorado. Na contramão do ‘Pavão Misterioso’, perfil bolsonarista criado para atacar a Vaza Jato, Debochado conseguiu se estabelecer como um verdadeiro influencer, escancarando as críticas ao Governo Bolsonaro e à oposição estadual, tendo sido destaque, inclusive, em veículos da grande imprensa.

Censura ao humor?

No ano em que as eleições municipais prometem aprofundar ainda mais as diferenças políticas, o ataque ao humor e às redes sociais parece servir de justificativa para a censura no campo de batalha eleitoral.

“Há pouco tempo, um blog que era declaradamente favorável ao candidato do governador também sofreu um ataque hacker. Passou um mês fora do ar até que restabelecessem a página”, relembra o criador da sátira.

Boa notícia

Enquanto não recupera o perfil original, o deboche já conhecido do personagem pode ser conferido na versão 2.0 do Instagram: @dino.debochado. Reativado neste domingo (22), resta a pergunta. A quem interessa o fim da página?

.x.x.x.

Seguem algumas postagens do perfil que foi derrubado:

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!