Ministério Público da Venezuela revela novas fotos de Guaidó com paramilitares

Do Brasil de Fato:

O procurador-geral de República da Venezuela, Tareck William Saab, revelou nesta quinta-feira (19) duas novas fotos que comprovam a ligação do deputado de direita Juan Guaidó, autoproclamado presidente interino do país, com membro do grupo narcotraficante paramilitar da Colômbia “Los Rastrojos”.

Segundo Saab, as imagens divulgadas também teriam sido capturadas no dia 23 de fevereiro, quando Guaidó atravessou ilegalmente a fronteira da Venezuela com a Colômbia para participar de um show que foi realizado no dia 24 do mesmo mês em Cúcuta, ao mesmo tempo em que o deputado orquestrava a entrada à força de uma suposta ajuda humanitária em território venezuelano. As investigações do MP apontam que os paramilitares teriam auxiliado e dado proteção a Guaidó durante sua passagem ilegal pela fronteira.

“Sobre as fotografias nas quais aparece Guaidó já não são mais duas, mas sim quatro e com certeza serão muitas mais. As fotografias colocam em discussão inclusive o estado mental [de Guaidó], porque somente um transtornado, um psicopata, pode ter como guarda alguns narcoparamilitares que banharam de sangue e balas o território colombiano”, disse Saab.

De acordo com o Ministério Público, outros dois membros do grupo “Los Rastrojos” aparecem abraçados com Guaidó em fotografia tiradas durante a travessia da fronteira. Argenis Vaca, conhecido como “Vaquita”, é um dos encarregados pelas finanças da facção criminosa e é acusado de homicídio, sequestro, extorsão, narcotráfico e formação de quadrilha. O outro membro paramilitar é Jhonathan Orlando Zambrano Garcia, conhecido como “Patron Pobre”, chefe da divisão que se encarrega de sequestros e contrabandos realizados pelos “Rastrojos”.

O procurador ainda revelou que um dos paramilitares que aparece abraçado com Guaidó nas fotografias, John Jairo Durán conhecido como “El Menor”, foi vítima de uma tentativa de assassinato por parte do próprio grupos narcotraficante como uma tentativa de “silenciá-lo” sobre o encontro com o opositor venezuelano.

Segundo Saab, o assassinato de Jairo Durán não se concretizou pois não conseguiram encontrá-lo. “Como não o encontraram, mataram sua mãe, o seu pai e mais dois membros de sua família. Foram assassinados quatro membros deste membros do grupo Los Rastrojos e a hipótese de investigação que pode existir foram matá-lo para silenciá-lo”, disse.

Duas fotografias divulgadas na última quinta-feira (12) pelo ativista colombiano dos direitos humanos e líder da Fundação Progresso Norte de Santander, Wilfredo Cañizares, indicam que o deputado venezuelano de direita Juan Guaidó cruzou a fronteira com a Colômbia auxiliado por membros de um grupo paramilitar narcotraficante chamado “Los Rastrojos”.

Nas duas fotos divulgadas, Guaidó, que foi o mentor da tentativa de golpe de Estado fracassada de 30 de abril contra o presidente Nicolás Maduro, aparece abraçado com John Jairo Durán, conhecido como El Menor, e Albeiro lobo Quintero, conhecido como Brother. O primeiro era o chefe máximo da organização criminosa, enquanto o segundo era o chefe de finanças. Ambos foram presos pelas autoridades colombianas em junho.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!