Ministro do Turismo usa mudança na Lei para cancelar multa sobre sua propriedade

Veja o sanfoneiro
Bolsonaro leva novamente sanfoneiro no evento em Manaus em plena pandemia. Foto: Reprodução/Twitter

O ministro do Turismo, o sanfoneiro Gilson Machado, divulgou a foto de uma praia no Nordeste perguntando a localização. Nos comentários, os internautas especularam se é uma praia em Alagoas, onde Gilson tem uma propriedade que poderia ser multada.

LEIA MAIS:

1 – Como antecipou o DCM, Mourão quer tentar o governo do Rio em 2022

2 – “Ele que precisa ficar preocupado”, diz Lula sobre Moro ao El País

3 – Lula é capa do El Pais e apontado por TV francesa como o grande líder da esquerda global

O que disse o ministro sanfoneiro?

Escreveu o sanfoneiro no Twitter:

“Nada se compara ao Brasil!
No Nordeste Sol e Praia 365 dias por ano!
Não temos Furacão,Maremoto,Guerras ou qualquer desastre natural.
Agroturismo é uma realidade.
Cultura do Côco em simbiose com pousada de charme.
Quem sabe onde é essa Praia??”

O cientista político Guilherme Casarões denunciou o sanfoneiro na mesma rede social:

“Sabiam que nosso ministro do Turismo usa seu perfil oficial para fazer propaganda de uma pousada… dele mesmo?

E sabiam que essa pousada descumpre leis de proteção ambiental?

Agora, me digam: quantos crimes de improbidade administrativa podem existir num só tweet?”

Um terceiro perfil deu o nome da pousada: “Villas Taturé, na praia do Toque”. O sanfoneiro disse que ela não foi autuada, mas “administrativamente cancelada”.

Veja o ministro sanfoneiro de Bolsonaro
O ministro sanfoneiro de Bolsonaro. Foto: Reprodução/Twitter

Entenda o caso da pousada do ministro

A pousada Villas Taturé, na praia do Toque, em São Miguel dos Milagres, de Alagoas, tem bangalôs confortáveis.

A Taturé é de Gilson Machado Neto, hoje ministro do Turismo.

Num claro conflito de interesses, Gilson, ao falar com orgulho da pousada, parece fazer propaganda de seu negócio enquanto ocupa cargo no governo.

Misturar os negócios públicos e privados tem restrições legais e impeditivos morais.

Antes de integrar a Esplanada, o sanfoneiro preferido de Bolsonaro havia sido multado em R$ 3 500 justamente por conta de seus bangalôs, que devem ser retirados da areia da praia à noite, para não incomodar as tartarugas que visitam a APA (área de proteção ambiental) da Costa dos Corais, onde fica a praia do Toque, a fim de pôr seus ovos.

O analista ambiental que multou em 2016 o futuro ministro foi exonerado quando o governo Bolsonaro começou a funcionar. Gilson já estava no ministério, então como secretário de Ecoturismo.

Misturar público e privado dá nisso.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link