Moro pede exoneração da Universidade Federal do Paraná

Sérgio Moro: exoneração da UFPR. Foto: EBC

Sergio Moro pediu exoneração da Universidade Federal do Paraná, onde é professor, diz uma fonte do DCM.

Ele apresentou uma requisição formal nesta segunda, dia 5. Não é preciso declinar a razão no documento.

Em 2016, Moro saiu de licença. Especulou-se que fosse estudar nos EUA, o que acabou não ocorrendo.

A expectativa era de que deixasse de lecionar para se dedicar exclusivamente à Lava Jato.

Naquele ano, houve um ato “em defesa da democracia” no prédio histórico da escola com críticas à operação.

Cerca de 400 pessoas, segundo a PM, ouviram juristas e defensores públicos por meio de um telão.

Gritos como “não vai ter golpe” e “fora, Moro” ecoaram pela praça Andrade, na capital paranaense.

Doutor em Direito pela Universidade, o juiz faz parte do quadro da UFPR desde 2007. Ministra a disciplina de Direito Processual Penal.

Segundo o diretor do setor de Ciências Jurídicas da entidade, Ricardo Marcelo Fonseca, Moro era bastante assíduo.

“Não há qualquer queixa de ninguém em relação ao Moro como funcionário. Comparece, dá as aulas, não falta”, disse Fonseca à Gazeta do Povo, uma espécie de Pravda da República de Curitiba.

Sua carga horária em sala era bastante leve, de quatro a seis horas por semana. Ganhava 3 mil reais por mês. Moro não dava aulas na pós.

Segundo a Veja, ele pode aceitar o convite de alguma universidade norte-americana para estudar em 2019.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!