Moro pode estar mesmo pensando: se encarcerou Lula, por que não prender Greenwald? Por Moisés Mendes

Sérgio Moro e Glenn Greenwald. Foto: Wikimedia Commons

Publicado originalmente no blog do autor

POR MOISÉS MENDES

Sergio Moro pode estar mesmo pensando: se encarcerou Lula, por que não poderia mandar prender Glenn Greenwald, o diretor do Intercept? O ex-juiz tem um porta-voz para tentar criar confusão com a prisão dos hackers e disseminar a ameaça de prisão do jornalista.

A tática, desde antes da identificação dos estelionatários, é manobrar para conectar os manos de Araraquara ao vazamento de suas conversas escabrosas com Deltan Dallagnol.

Moro usa o site O Antagonista, porta-voz do golpe, da Lava-Jato e de Bolsonaro, para antecipar cada ação da sua polícia. O ex-juiz ou seus prepostos mandam o site de Diogo Mainardi atemorizar Greenwald e avisar sobre o que estaria sendo feito.

Foi o site de Mainardi, o homem-mosca, que informou que o Coaf estaria investigando as movimentações financeiras do jornalista (que o Coaf não confirma, talvez porque sejam clandestinas).

Foi o mesmo site que informou sobre investigações que envolveriam o deputado David Miranda. O Antagonista persegue Miranda porque é de esquerda, é gay e é casado com Greenwald.

O site avisa agora que podem prender Greenwald a qualquer momento. Mainardi sabe tudo da Lava-Jato e faz o trabalho sujo que a Globo não se arrisca a fazer, inclusive mentindo.

O homem-mosca é funcionário da Globo, que há meses se encolheu na cobertura do caso do Queiroz e entregou aos seus humoristas a tarefa de ridicularizar a extrema direita no poder.

Muito riso, muita brincadeirinha com o fascismo, mas nada de jornalismo. A Globo terceirizou ao pessoal do humor os ataques aos seus inimigos no governo.

É assim quer os humoristas dos Marinho acabam por popularizar e humanizar os Bolsonaros, o pai e os filhos. Pois Mainardi trabalha para a Globo e ajuda Moro num momento decisivo.

O ex-juiz tem de agir logo, antes do julgamento pelo Supremo da ação que levanta sua suspeição na Lava-Jato. Por isso acharam os hackers.

Mas o chefe de Dallagnol teria coragem para mandar prender o jornalista, com a ajuda de um juiz amigo, sob a acusação (que já está circulando) de que o Intercept é receptor e cúmplice dos vazamentos? Talvez não, porque sabe que seria massacrado pelas reações internacionais.

O que Sergio Moro conseguiu com a quadrilha de hackers trapalhões foi empurrar a Lava-Jato para a zona do riso, como a Globo faz com o bolsonarismo.

Todas as notícias sobre a tal gangue de hackeadores provocam gargalhadas. A Lava-Jato virou um pastelão.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!