MST bloqueia estradas e realiza ato internacional em memória dos 25 anos de Eldorado dos Carajás

 

Neste 17 de abril, Dia Internacional e Nacional de Luta pela Reforma (Lei nº 10.469/2002), o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) realiza mais de 50 bloqueios em rodovias estaduais e federais. São paradas de 21 minutos em memória aos 21 mortos do Massacre de Eldorado dos Carajás, que, nesta data, completa 25 anos. Após duas décadas e meia, a agenda da Reforma Agrária segue sendo um desafio para o Estado brasileiro, que precisa assentar mais de 200 mil famílias.

Após a mobilização simbólica nas estradas seguindo os cuidados com a vida pertinentes ao tempo de pandemia, o Movimento faz, às 10h, o Ato Político Cultural em Memória aos 25 Anos do Massacre de Eldorado dos Carajás, com transmissão on-line pelas redes sociais. Desde o dia 9/04, a Juventude Sem Terra mobiliza o Acampamento Pedagógico da Juventude Oziel Alves (em modalidade virtual).

A curva do “S”, em Eldorado dos Carajás, foi palco do maior massacre contra camponeses em luta da história recente do país. Ao marchar para a capital paraense, os milhares de Sem Terra foram impedidos de seguir sua mobilização e, no dia 17/04/1996, o destacamento policial abriu fogo contra a marcha e assassinaram brutalmente 21 trabalhadores rurais. O episódio ganhou repercussão internacional e a data foi declarada pela Via Campesina como um marco na luta pela terra em todo o mundo.

O Ato Político-Cultural será coordenado a partir do Pará e de São Paulo, com ampla participação de representações internacionais e tradução simultânea para inglês e espanhol. “Todos os anos fazemos um ato político, cultural e religioso na curva do S, mas, em função da pandemia, o nosso ato desse ano será um ato virtual, como tem ocorrido várias atividades celebrando a vida dos que seguem na luta por reforma agrária, por justiça, dignidade, terra, trabalho e alimentação saudáveis”, ressalta Ayala Ferreira, da Direção do MST.

No domingo (18/4), ações de solidariedade em todo o país ressaltam a importância da produção de alimentos saudáveis, principalmente nesta pandemia, dando continuidade à campanha de doação de alimentos do MST para quem vive em situação de vulnerabilidade. Neste contexto, a Jornada Nacional de Luta pela Reforma Agrária inaugura a “Parada pela Vida”, um lockdown popular articulado a partir dos movimentos populares para salvar vidas.