Na Argentina, Fernández segue incentivando o isolamento: ‘Sigamos os esforços’

PUBLICADO NO VERMELHO

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, visitou neste 1º de maio, Dia dos Trabalhadores, uma fábrica na qual são produzidos macacões e máscaras de proteção aos trabalhadores que estão na linha de frente do combate ao novo coronavírus. Após agradecer aos operários, afirmou que “ainda não é o momento de diminuirmos os esforços, sob o risco de colocarmos tudo a perder”.

A fábrica visitada pelo presidente produzia peças para automóveis até o início da pandemia. “É preciso dar destaque também aos empresários conscientes que entenderam as novas necessidades do país”, ponderou. Em seguida, fez outro destaque importante: “A Argentina é um dos poucos países que manteve uma base industrial que nos torna capazes de fabricar respiradores”.

Em seu contato com a imprensa, Fernández também falou que no Dia dos Trabalhadores era necessário reafirmar sua proximidade com as centrais sindicais do país. “Precisamos sempre reafirmar a valorização do trabalho”, disse.

Até o dia 30 de abril, a Argentina (país com cerca de 45 milhões de habitantes) registrou somente 207 mortes pela Covid-19, num total de pouco mais de 4 mil infectados. O governo determinou uma rigorosa quarentena no dia 20 de março, cuja duração vem sendo redefinida a cada duas semanas, conforme a evolução dos casos.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!