Na GloboNews, Jorge Pontual defende bombardeio de ambulância em Gaza por parte de Israel

Atualizado em 4 de novembro de 2023 às 11:51
Jorge Pontual, porta-voz de Israel na GloboNews

O correspondente da GloboNews em Nova York, Jorge Pontual, conseguiu se superar mais uma vez.

Em participação no telejornal desta sexta à noite, Pontual, como de costume em sua fala trôpega, justificou o bombardeio de Israel ao hospital Al Shiifa e a uma ambulância.

Segundo uma análise torta e autorizada pela governo de extrema-direita de Benjamin Netanyahu, as manifestações em várias partes do mundo “e na ONU também” contra o massacre de civis na Palestina são “pró-Hamas”.

“Israel gostaria que as pessoas no resto do mundo entendessem a situação que esse país vive”, falou, diante dos demais panacas da bancada, assistindo bovinamente o disparate criminoso.

“Atacar terroristas do Hamas é um direito que Israel tem. Se eles estavam em uma ambulância, infelizmente, era isso que Israel tinha que fazer: alvejar esses seus inimigos”. Inacreditável. De acordo com Pontual, a tragédia se resume assim: “Não deu outra”.

O exército israelense confirmou que explodiu a ambulância perto do Al Shifa, um dos maiores nosocômios de Gaza. O ataque aéreo, supostamente, mirava alvos do Hamas.

De acordo com a Sociedade do Crescente Vermelho Palestino (PRCS), membro do Movimento Internacional da Cruz Vermelha, o veículo estava retornando de uma missão para transportar feridos à fronteira entre a Faixa de Gaza e o Egito, na cidade de Rafah.

Em um post na rede social X, o diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, se indignou. “Totalmente comovido com os relatos de ataques a ambulâncias que evacuavam pacientes perto do hospital Al Shifa de Gaza. Insistimos: os pacientes, o pessoal de saúde, as instalações e as ambulâncias devem ser protegidas a todo momento. Sempre”, escreveu.

O médico norueguês Mads Gilbert, que trabalhou no Al-Shifa durante 16 anos, disse que “não há nenhuma evidência” nas alegações de Israel de que o lugar serve como esconderijo para o Hamas.

“Se fosse um centro de comando militar, eu não trabalharia lá”, afirmou em entrevista. Mas quem sabe o que acontece é Jorge Pontual, no ar condicionado dos estúdios da Globo nos EUA, coaxando os releases de Israel.