Natalia Pasternak critica título de reportagem da Folha sobre uso de máscara: ‘Desastroso’

A doutora em microbiologia pela Universidade de São Paulo (USP) Natalia Pasternak utilizou as redes sociais nesta terça-feira (15) para comentar sobre um artigo  ‘desastroso’ publicado pela Folha sobre o uso de máscara.

Segundo Natalia, o texto intitulado ‘Uso de máscaras pode induzir produção de anticorpos contra Coronavírus’ causa uma ‘confusão danada’ e antes de explicar melhor ela enfatizou que mascaras não induzem anticorpos e não são vacinas.

No Twitter, ela corrigiu a informação publicada pela Folha e enfatizou a importância do uso de máscara:

O artigo especula sobre a possibilidade de as máscaras, por diminuírem a carga viral a que somos expostos contribuírem para infecções leves ou assintomáticas, justamente porque nao fazem milagre, apenas DIMINUEM a exposição às partículas virais emitidas de uma pessoa para outra.

Uma carga viral menor, assim, estaria associada a formas mais leves da doença, ou formas assintomáticas. Isso contribui para a tal imunidade coletiva, ao mesmo tempo em que evitaria formas graves da doença. Mais gente se contamina com poucos vírus, mais gente tem sintomas leves.

Assim mais gente se recupera, fica imune, e menos gente fica gravemente doente. Mas é importante ressaltar que o artigo é especulativo, é só uma reflexão, baseada em alguns trabalhos que sugerem que isso ocorre. Entre eles, um estudo feito em um navio de cruzeiro argentino.

No navio, todos usavam máscaras profissionais, e o índice de assintomáticos foi de 81%. Um estudo feito em hamsters sírios também demonstrou que os animais protegidos por tecido de máscara tinham sintomas leves ou sequer adoeciam.

Mas não são as máscaras que induzem anticorpos! Elas apenas filtram uma parte das partículas virais que estão sendo literalmente jogadas na sua cara por outra pessoa. Essa carga viral mais baixa é que vai provocar – ou não – uma reposta imune no indivíduo.

E como PARECE que a quantidade de vírus que você recebe no seu nariz está relacionada à severidade da doença, com menos vírus, você poderia ter uma resposta imune protetora (NÃO necessariamente de anticorpos, como já vimos varias vezes que células T também são importantes).

Isso não quer dizer pra todo mundo colocar a máscara e correr pra perto de alguém doente pra se infectar logo, e acabar logo com isso, já que a máscara garante que não vamos ficar gravemente doentes!!!!!

Em português claro, a mascara NÃO GARANTE que vc vai pegar e ficar assintomático!!!!!! é só uma reflexão, uma especulação, e MAIS UMA maneira de incentivar o uso de máscaras! Moral da história é: USE MÁSCARA! Mas saiba que ela não é vacina nem milagre.

É APENAS MAIS UMA estratégia de proteção! Precisamos de TODAS as estratégias, cada uma vai somando pra reduzir a PROBABILIDADE do contágio. Nenhuma é magica, e nenhuma funciona sozinha. Máscaras, distanciamento, evitar aglomerações, lavar as mãos. Sabemos o que fazer, pessoal!

 

.x.x.x.x.x

PS: Sobre o texto em si, Natália não teceu crítica. O problema está no título, que pode levar a um entendimento desastroso.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!