Neymar e máxima de Oscar Wilde: “Tudo nesse mundo é sobre sexo, exceto sexo. Sexo é sobre poder”

Por Daniel Trevisan

Como mentiu na primeira defesa pública que fez da acusação de estupro, Neymar perdeu a credibilidade para qualquer explicação que dê sobre o episódio.

Ele disse que tinha sido uma relação normal entre dois adultos.

“O que aconteceu num dia foi uma relação de homem e mulher, dentro de quatro paredes, algo que acontece com todo o casal”, afirmou.

Novas mensagens divulgadas indicam que não foi nada normal, e a pergunta que não quer calar é: O jogador é um maníaco sexual?

Nas novas conversas, Nájila Mendes Trindade envia a foto das nádegas com marcas de agressão.

Neymar responde com emojis de “carinha triste” e “o que posso fazer?”

Seguem as conversas:

Nájila conta: “Eu tava de meia calça por causa disso. Vc lembra de tudo ontem? Enfim.”

Neymar: “Óbvio.”

Najila: “Pode me bloquear. Eu vou sumir. Vou acabar com essa… …Nem sei explicar.”

Neymar: “Relaxa, segue sua vida e tá tudo certo.”

Najila: “Se conseguir o voo de manhã me avisa, por favor.”

Neymar: “Ok, mando”

Najila: “O cara q eu conheci hoje não era o mesmo q ontem. Foi por esse Neymar de hj q me apaixonei.”

Neymar: “Vc não me conhece bem, sou normal.”

Najila: “Somos todos”

Neymar: “Eh que ontem foi rápido e não tivemos tempo de conversar. E hoje a gente trocou ideia.”

Najila: “Pode ser. Tava empolgada em te conhecer… Ontem foi tudo tão rápido… Daí pela manhã vi essas marcas… Ontem mal falamos. Vc tava agitado… Aí hoje chegou mais calmo. Ontem eu tava calma, e hj quem ta agitada sou eu… Desencontramos… Pena que deu errado.”

Neymar: “Mas as marcas vc foi culpada tb hahaha vc pedia mais (enviou emoji de ‘o que posso fazer’).”

Najila: “Tá doido? Eu pedi pra parar e vc até pediu desculpas. Mas agora. Mais uma pra terapia.

Em um relacionamento sexual, naturalmente tudo é válido, desde que com consentimento.

Pelo teor da conversa, Neymar avançou o sinal e ainda culpou a mulher pelas marcas de agressão.

É um abuso.

O caso Neymar precisa ser visto na perspectiva mais abrangente sobre o mundo das celebridades ou de poder.

Nájila também foi para Paris porque quis, mas não tinha recursos nem para voltar. 

O caso ainda não está minimamente esclarecido e é precipitado chegar a qualquer conclusão. Mas sobra gente, que não estava dentro daquelas quatro paredes, que já deu seu veredito.

 Jair Bolsonaro é um deles.

Disse:

“A mulher atravessa o continente, um montão de coisa acontece e ela quer…”.

Ele não completa a frase, mas indica o pensamento machista. Faltou dizer: “Ela foi até lá e agora dá uma de fresca?”

Ou:

“Ajoelhou, tem que rezar.”

Não é assim que o mundo deveria funcionar. Mas é assim que funciona.

Jessé Souza transcreve no livro “A Classe Média no Espelho” o trecho da entrevista que fez com um diretor de banco, que conta ter testemunhado uma cena violenta, em que um juiz de direito subornado obrigou uma advogada a praticar sexo oral nele e em mais dois homens, apenas porque ela teve o atrevimento de dar palpite sobre a sentença que estava sendo comprada.

A advogada foi usada para atrair o interesse do juiz.

Ela teve relacionamento sexual com ele, por determinação do presidente do banco, e, num dia combinado, voltou a se encontrar com o juiz, mas para entregar uma mala de dinheiro, juntamente com esse diretor.

Quando falou sobre a sentença, irritou o magistrado corrupto, que disse que ela estava ali não como advogada, mas como puta.

“Na mesma hora, botou o p… para fora, na minha presença e de outros dois, e mandou a moça chupar”. Depois mandou que fizesse o mesmo em dois funcionários (que estavam na sala).

Já disse o escritor Oscar Wilde:

“Tudo nesse mundo é sobre sexo, exceto sexo. Sexo é sobre poder”. 

Neymar parede ter entendido que tinha direito de exercer seu poder sobre a moça e nem se deu conta de que ela não queria que ele fizesse algo que deixou marcas em suas nádegas.

Depois de tudo, com a mensagem em que Nájila conta estar arrasada, ele ainda afirmou para ela:

“Vc não me conhece bem, sou normal.”

Normal para Neymar seria nunca aceitar um não.

Ajoelhou, tem que rezar.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!