No Roda Viva, Joice faz a fake news da fake news na cascata dos R$ 600 milhões. Por Kiko Nogueira

Joice Hasselmann

Joice Hasselmann mostrou no Roda Viva por que é uma das figuras mais grotescas da política brasileira e a cara escarrada do Brasil de Bolsonaro.

Não contou nada que prometeu contar sobre as milícias digitais bolsonaristas.

O show de mentiras, papo furado e puxação de saco do chefe, tentando emplacar a patacoada de que ele é diferente dos filhos e não a mesma criatura, teve como cereja do bolo a fake news de uma fake news.

A alturas tantas, ela voltou a insistir na papagaiada de “um grande grupo de comunicação” que recebeu 600 milhões de reais “em bitcoin” para assassinar a reputação de Jair.

Tudo indicava que era Veja e a Editora Abril, onde ela trabalhou. A Abril faliu e foi comprada por 100 mil reais, aliás.

Questionada pela bancada, Joice deu uma desconversada e confirmou toda a papagaiada, acrescentando que o suborno não ocorreu por causa de sua “denúncia”.

Mitomania pura da montanha.

Em fevereiro, Joice garantia que a transação foi realizada na época da campanha ao Pânico, da Jovem Pan.

“Sei quem entregou o dinheiro e como foi feita a transferência”, falou.

Em setembro do ano passado, jurava que a grana já teria sido entregue “nota sobre nota”.

O Brasil é psicótico e Joice reina nesse hospício.

Assista abaixo a partir de 1h12.

Aqui, a partir do minuto 23:

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!