No Senado, Dilma acusará a mídia, Cunha e a “conspiração” do golpe. Por Kiko Nogueira

Dilma e Lula no Palácio da Alvorada no domingo, 28 de agosto
Dilma e Lula no Palácio da Alvorada no domingo, 28 de agosto

 

O discurso de Dilma Rousseff no Senado, a ser proferido na segunda, dia 29, terá em torno de 30 minutos de duração.

O horário marcado para começar é às 9h. Dilma discutiu detalhes com Lula. Não houve sugestões do PT.

Dilma passou o domingo, dia 28, ensaiando para o momento. O DCM apurou qual será a espinha dorsal da pronunciamento.

. O teor político é óbvio, mas o tom também é emocional. Segundo uma fonte do DCM, está “bonito”.

. Faz menção à necessidade de sempre se respeitar a democracia  e a vontade das urnas.

. Dilma ressaltará a “injustiça de ser condenada mesmo sendo inocente”.

. Sua luta democrática é “um compromisso que vem desde jovem”.

. Essa batalha “lhe rendeu a tortura e a prisão no passado”.

. O “governo usurpador está colocando em risco as conquistas sociais e os direitos do povo”.

. Dilma não citará Michel Temer, mas reforçará que houve uma “conspiração” com o ex-vice decorativo.

. Conspiração esta orquestrada “pelas elites que foram derrotadas em 2014 e não aceitaram o resultado das urnas”.

. O governo legítimo, eleito pelo povo, é vítima dos golpistas.

. Houve um “ambiente político para o golpe, inflado pela mídia”.

. O compromisso de Dilma é o de, se reempossada, convocar eleições gerais.

. O único político citado nominalmente será Eduardo Cunha, padrinho do golpe. O interino não emplacou nem essa.

 

Trinta e três pessoas confirmaram que estarão com ela como convidados. Em ordem alfabética:

1. Aldo Rebelo – ex-ministro da Defesa

2. Aloizio Mercadante – ex-ministro da Educação

3. Antonio Carlos Rodrigues – ex-ministro dos Transportes

4. Carlos Gabas – ex-ministro da Previdência e da Aviação Civil

5. Carlos Lupi – presidente do PDT e ex-ministro do Trabalho

6. Daisy Barretta – assessora especial de Dilma Rousseff

7. Eleonora Menicucci – ex-ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres

8. Eugênio Aragão – ex-ministro da Justiça

9. Giles Azevedo – ex-assessor especial da Presidência

10. Izabella Teixeira – ex-ministra do Meio Ambiente

11. Luiz Inácio Lula da Silva – ex-presidente da República

12. Jaques Wagner – ex-ministro da Casa Civil e do Gabinete da Presidência

13. Jorge Messias – ex-subchefe de Assuntos Jurídicos da Presidência

14. José Eduardo Cardozo – ex-ministro da AGU e da Justiça

15. Juca Ferreira – ex-ministro da Cultura

16. Luciana Santos – presidente do PC do B

17. Maria de Fátima Carneiro de Mendonça – mulher do ex- ministro Jaques Wagner

18. Maurício Muniz – ex-ministro da Secretaria Nacional dos Portos

19. Miguel Rossetto – ex-ministro do Trabalho

20. Miriam Belchior – ex-presidente da Caixa

21. Nelson Barbosa – ex-ministro da Fazenda e do Planejamento

22. Nilma Lino Gomes – ex-secretária de Igualdade Racial

23. Olímpio Antônio Brasil da Cruz – assessor de imprensa de Dilma Rousseff

24. Patrus Ananias – ex-ministro do Desenvolvimento Agrário 25. Paula Zagotta – assessora especial de Dilma Rousseff

26. Renato Rabelo – ex-presidente do PC do B

27. Ricardo Berzoini – ex-ministro da Secretaria de Governo

28. Roberto Stuckert Filho – fotógrafo oficial de Dilma Rousseff 29. Rui Falcão – presidente do PT

30. Sandra Brandão – ex-assessora especial da Presidência

31. Tereza Campello – ex-ministra de Desenvolvimento Social e Combate à Fome

32. Tiago Falqueiro – assessor especial de Dilma Rousseff

33. Wagner Caetano – ex-chefe do Gabinete de Crise do Planalto

 

Chico Buarque também deverá estar presente.

Dilma não fez as malas.

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!