Nova juíza do caso Atibaia assinou manifesto pró-Moro e defendeu seu “hercúleo trabalho”

Pollyanna Kelly Maciel Medeiros Martins Alves

A juíza Pollyanna Kelly Alves, da 12ª Vara da Justiça Federal em Brasília, é a nova responsável pelo processo contra Lula no sítio em Atibaia.

A distribuição ocorreu após o Supremo considerar que Curitiba era incompetente para seguir com o caso.

Em abril, o relator da Lava Jato, Edson Fachin, anulou as condenações do ex-presidente e, com isso, evitou a nulidade total dos casos e garantiu uma sobrevida para as acusações.

Agora há o reinício da fase de instrução, que é a coleta de provas, e novos julgamentos.

Pollyanna é substituta e apontada por procuradores e advogados como firme na aplicação da lei, não necessariamente no bom sentido para a Justiça.

Em 2019, ela assinou moção de apoio a Sergio Moro após a Vaza Jato.

Segundo o grupo de 270 magistrados, os diálogos entre Moro e a turma de Deltan Dallagnol eram rotineiros nos fóruns do país e não ofendiam o princípio da imparcialidade.

As mensagens, dizia o texto, apenas revelavam a preocupação de Moro com os procedimentos, sem qualquer relação, por menor que fosse, com o mérito de cada denúncia.

“Não admitimos que a excelência desse hercúleo trabalho, verdadeiro ponto de inflexão no combate à corrupção e crimes cometidos por poderosos, seja aviltada por mensagens inócuas e criminosamente obtidas”, complementavam.

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!