Novo coordenador do Enem falsificou Nietzsche e Dostoiévski para atacar ‘professores esquerdistas’ e ‘abortistas’

Murilo Resende

Do meu amigo comentarista Clayton Netz, estupefato com o nível intelectual dos discípulos de Olavo de Carvalho que estão infestando o governo bolsonarista:

Mais uma do Murilo Resende Ferreira, nomeado diretor do Inep e coordenador do Enem, o tal que afirmou que os professores brasileiros eram desqualificados e manipuladores.

Em artigo contra a liberação do aborto, publicado em 31/07/2018 na Gazeta do Povo, ele faz uma citação do “Crime e Castigo”, do Dostoiévski.

Diz que Raskólnikov era um “típico estudante esquerdista”, influenciado por Nietzsche.

Detalhe: “Crime e Castigo” é de 1866; Nietzsche publicou seu primeiro livro em 1872.

Eis um trecho da peça do Murilo:

“Em Crime e Castigo, Dostoievski apresenta-nos o drama de Raskólnikov, o típico estudante esquerdista que, de um quarto infecto, ameaça legislar sobre o universo e a humanidade. Influenciado pelos delírios de Nietzsche, Raskólnikov se crê um super-homem, aquele que irá construir a sociedade futura com a força titânica de um Napoleão.

Eis que surge a oportunidade de testar a resolução desse titã: perante a pobreza estudantil se apresenta uma velha usurária, sua vizinha, dotada do capital que pode alavancar o César redivivo ao seu projeto de um novo mundo. Matar ou não matar?

Esse mesmo drama de uma ética super-humana e titânica domina a mentalidade das tropas de choque dos abortistas no Brasil. Militantes enragées vivem apinhados nas grandes metrópoles, onde são radicalizados pelos professores esquerdistas que já imbecilizaram várias gerações de brasileiros”.

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!