“O assassinato de Marielle é o Estado sequestrado pelo crime organizado”, diz Freixo

Foto: Reprodução/ Twitter

O deputado federal Marcelo Freixo (PSB-RJ) usou seu Twitter para fazer uma denúncia importante sobre o atual estágio das investigações do assassinato da ex-vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson:

ATENÇÃO! É gravíssimo o que está acontecendo no caso Marielle. Houve vazamento de informações sigilosas e interferência externa na delação premiada de Júlia Lotufo, viúva do miliciano Adriano da Nóbrega, chefe do grupo de matadores profissionais responsável pela execução.

O delegado Moysés Santana, que realizava um importante trabalho nas investigações, foi substituído. E as promotoras Simone Sibilio e Letícia Emile, ambas há 3 anos no caso, pediram demissão devido a essas interferências. É um prejuízo ENORME p/ a apuração do crime.

O governador Claudio Castro, o procurador-geral de Justiça no RJ, Luciano Mattos, e o chefe da Polícia Civil, Alan Turnowsky, têm OBRIGAÇÃO de vir a público explicar o que está acontecendo. Exigimos transparência e responsabilidade.

As execuções de Marielle e Anderson envolvem gente com poder político e econômico que desde o princípio está sabotando as investigações. As autoridades precisam cumprir com seus papéis e reagir.

O assassinato de Marielle é um crime político contra a democracia. É o atestado de óbito do RJ, Estado sequestrado pelo crime organizado e seus cúmplices no sistema político. A barbárie não pode vencer, a barbárie não pode ficar sem a resposta das instituições democráticas.

QUEM MANDOU MATAR MARIELLE FRANCO? E POR QUÊ?

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!