O Blackberry tem salvação?

Com os novos Z10 e Q10, a empresa que inventou o smartphone tenta reconquistar o seu espaço no mercado.

Legenda
Eles têm poder de fogo para competir com o iPhone e o Galaxy?

Houve um tempo em que ter um Blackberry era cool. A companhia teve seu ápice em 2008, quando era avaliada em US$ 83 bilhões e seus smartphones eram um sonho de consumo. A chegada do iPhone e dos aparelhos Android, porém, reduziu a empresa (então chamada de RIM) a uma parcela minúscula do mercado e, em apenas três anos, seu valor caiu para US$ 13 bilhões. Ou seja, os acionistas perderam neste período o equivalente a 29 mil exemplares da Bugatti Veyron, o carro mais caro do planeta.

Surge então a pergunta: quem pode salvar a Blackberry?

A empresa espera que a resposta seja a seguinte: o Z10 e o Q10.

Na tarde de ontem, em Nova York, a Blackberry apresentou ao mundo seus dois lançamentos, equipados com o novo sistema operacional BB10. Com estes produtos, cujos preços ainda não foram divulgados, a companhia pretende reconquistar a relevância que já teve um dia neste mercado da tecnologia.

Vamos, então, às principais novidades destes aparelhos:

  • O novo teclado aprende as palavras mais usadas por você e, assim, transforma a escrita mais ágil. Isso me deixou realmente impressionado.
  • Todos os e-mails, mensagens e notificações ficam agora apenas num lugar. Movendo seu dedo de baixo pra cima na tela, ele aparece. Isso é algo que o iOS e Android já têm há um bom tempo. Acredito que a Blackberry fez bem em implementar isso ao seu sistema, também.
  • O BBM deixou de ser apenas um messenger e, agora, faz também vídeo-conferência e compartilhamento de tela.

A grande diferenças entre o Z10 e o Q10 está em seus teclados — um deles é touch, o outro é físico. Ambos possuem 2GB de RAM, CPU de 1,5Ghz Dual Core e câmera na parte traseira de 8MP.

Mas eles têm poder de foto para competir com o iPhone e o Galaxy?

O mais importante de um sistema operacional é a sua variedade de aplicativos, um dos grandes atrativos do iOS e do Android. Surpreendentemente, o BB10 será lançado com 70 mil apps em sua loja. Me impressionou a quantidade de desenvolvedores que embarcaram neste lançamento. Aplicativos como Skype, WhatsApp , Spotify, Twitter e Angry Birds já estarão prontos para serem baixados desde o primeiro dia. E, segundo a empresa, muitos outros ainda estão por vir. O AppStore (800 mil) e o Google Play (700 mil) ainda estão bastante na frente. Mas devemos levar em consideração que eles estão no jogo há anos. No caso do BB10, é o seu primeiro dia.

Sou um iPhone de carteirinha. Mas, sinceramente? Tive vontade de experimentar o Z10. Em relação ao seu irmão, o Q10, não vejo muita utilidade em seu (defasado) teclado físico.

Especificações à parte, o sucesso de um aparelho está estreitamente ligado amos que seus usuários têm por ele. Não será uma tarefa fácil para o Blackberry resgatar esse sentimento que as pessoas já tiveram por ele — e que perderam depois ao trocá-lo por um outro celular.

Esses lançamentos deram algum fôlego para a empresa. Mas sabe-se lá até quando.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!