O constrangedor novo normal de Bolsonaro. Por Moisés Mendes

Jair Bolsonaro e Gilmar Mendes. Foto: Wikimedia Commons

Publicado originalmente no blog do autor

É esdrúxula a notícia da coluna da Monica Bergamo na Folha. Bolsonaro pediu ao ministro interino da Saúde que telefonasse para Gilmar Mendes.

Eduardo Pazuello telefonou e pediu trégua ao ministro que acusou o Exército de ser cúmplice de um genocídio.

Mas enquanto Pazuello cumpria ordens determinadas pelo novo normal de Bolsonaro, o Ministério da Defesa encaminhava à Procuradoria-Geral da República a representação contra Mendes.

Chegamos a uma situação em que Bolsonaro faz jogo de cena e indica que tenta acalmar a parceria, não porque possa estar interessado na defesa do governo, mas da família.

O constrangedor é que Pazuello, que pode bailar a qualquer momento, cumpre as ordens de cordialidade de um desatinado.

Bolsonaro provocou toda a confusão em que os generais se meteram e agora tenta usar os generais para dizer que busca a paz. E os generais se prestam.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!