O enterro de um menino morto em Paraisópolis e a lição contida no gesto de Suplicy. Por Kiko Nogueira

Gustavo Xavier, morto aos 14 anos pela PM em Paraisópolis

Eduardo Suplicy fez o que nenhum político de oposição fez: compareceu ao velório de uma das vítimas do massacre de Paraisópolis.

“Agora somos todos Paraisópolis”, escreveu nas redes.

O menino Gustavo Xavier tinha 14 anos e queria “curtir”, como relatou seu padrinho José Roberto de Oliveira no cemitério.

Suplicy compareceu ao enterro e depois foi visitar a casa da família “muito modesta no Valo Velho” — subdistrito do Capão Redondo.

“O laudo do IML informou que ele faleceu por asfixia causada pelos gases e também por provável estrangulamento em função de marca vermelha em seu pescoço”.

A foto que o velho vereador postou tem o recado de sabedoria popular nas costas de um rapaz: “Assim como toda alegria é passageira, nenhum sofrimento é eterno”.

Suplicy estava lá para prestar sua solidariedade e abraçar os parentes num momento de dor.

Tinha ciência de que seria chamado de oportunista, como aconteceu. Fez política, sim, na medida em que ele é político, não empresário ou decorador de interiores.

E daí? A outra opção era ficar em casa. É justo? É civilizado?

Não. Seria covardia.

As lideranças da esquerda brasileira têm uma curiosa reação diante das atuais tragédias nacionais.

Quando queimadas infestaram a Amazônia, ninguém pegou um avião para ajudar brigadistas.

A mesma coisa com o óleo que se espalhou pelas praias do Nordeste. Legiões se lamentaram nas redes sociais. Ninguém colocou luvas e foi à luta.

Suplicy não roubou a cena.

Prestou sua homenagem a um garoto covardemente executado numa favela da cidade de São Paulo.

Representou seus eleitores, representou quem ainda crê em civlidade.

É um gesto simples e honesto que, em tempo de trevas e medo, torna-se grandioso e necessário.

“Agora Somos Todos Paraisópolis.” Estive nesta tarde no enterro do jovem Gustavo Xavier, de 14 anos, que foi morto neste…

Posted by Eduardo Suplicy on Monday, December 2, 2019

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!