O nome agora é Chelsea Manning

O soldado pede que seja identificado como mulher — e seus advogados argumentam que seus conflitos internos pesaram em sua decisão de vazar documentos.

manning
Bradley/Chelsea

Bradley Manning, o soldado dos EUA condenado a 35 anos de prisão por vazar documentos secretos, quer ser tratado por seu novo nome: Chelsea. A mídia não está sabendo, por enquanto, lidar com isso. Reclamações formais de entidades LGBT foram endereçadas à BBC e ao New York Times, por exemplo, que continuam grafando “Bradley” e usando os pronomes masculinos.

Advogado de Manning, David Coombs disse que seu cliente queria esperar o julgamento para se identificar publicamente como mulher. Ele disse que fará de tudo para garantir que Manning receba tratamento hormonal na prisão. Negou que o soldado queira fazer uma cirurgia de mudança de sexo ou que deseja ser transferido para uma penitenciária feminina.

A orientação sexual do soldado foi mencionada algumas vezes no tribunal. A defesa sugeriu que seus conflitos internos contribuíram para a decisão de vazar as informações sigilosas.

Em abril de 2010, quando analista de inteligência em Bagdá, Manning enviou um e-mail para o sargento Paul Adkins, seu superior. O assunto era “O meu problema”. No email, estava anexada uma foto do remetente de peruca loira e maquiagem.

“Este é o meu problema. Tive sinais dele por muito tempo”, dizia o texto. “Pensei que uma carreira militar ia pôr fim nisso. Estou tentando me livrar dele com toda força. Mas a coisa não quer passar. Eu pensei que, me alistando no serviço militar, iria me livrar dele. Isso me assombra mais e mais à medida que envelheço. Agora, as conseqüências estão ficando mais duras”.

Adkins foi questionado por não ter avisado seus chefes do email. “Eu não achei, na época, que uma foto circulando de um dos meus soldados vestido de drag queen estaria no melhor interesse da nossa missão”, respondeu.

Eis a declaração de Manning ao Today Show, da NBC:

A próxima etapa da minha vida

Eu quero agradecer a todos que me apoiaram ao longo dos últimos três anos.Durante este longo calvário, suas cartas de apoio e encorajamento me ajudaram a manter-me forte. Sou eternamente grato a quem me escreveu, fez uma doação ao meu fundo de defesa, ou veio assistir a uma parte do julgamento. Eu gostaria de agradecer especialmente [os grupos] Coragem de Resistir e Rede de Apoio a Bradley Manning por seus incansáveis ​​esforços no sentido de dar visibilidade a meu caso e prover minha representação legal.

Enquanto me encaminho para esta nova fase da minha vida, quero que todos conheçam meu  verdadeiro eu. Eu sou Chelsea Manning. Eu sou uma mulher. Dada a maneira como me sinto, e como me senti desde a infância, eu quero começar a terapia hormonal mais cedo possível. Espero que vocês me apoiem nessa transição. Peço também que, a partir de hoje, vocês se referiram a mim pelo meu novo nome e usem o pronome feminino (exceto na correspondência oficial às instalações do confinamento). Estou ansioso para receber cartas de apoio e ter a oportunidade de respondê-las.

Obrigado,

Chelsea E. Manning

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!