O proselitismo picareta de Doria para virar dono da vacina e salvar o Brasil de Bolsonaro que ele ajudou eleger

Acorda cedo para fazer propaganda

Por mais útil que seja seu esforço, João Doria está passando do tom no proselitismo em cima da Coronavac.

O marqueteiro que surgiu na vida pública traindo, primeiro seu padrinho político, Geraldo Alckmin, depois os eleitores de São Paulo, abandonando a prefeitura, e logo na sequência o presidente Jair Bolsonaro, de quem pendurou no saco no segundo turno em 2018, agora faz da imunização contra covid sua tábua de salvação para chegar à presidência no ano que vem.

Quem abriu as redes sociais na primeira hora da manhã desta segunda, 19, viu: de dentro da pista do aeroporto de Guarulhos, ele anunciava que estava aguardando um carregamento de insumos para a produção de mais cinco milhões de doses da Coronavac.

O que deveria ser uma ação administrativa comum, e de responsabilidade do Instituto Butantan e das demais autoridades de saúde, vira um carnaval sob as lentes do gestor.

Doria dorme e acorda pensando em como propagandear a Coronavac como se fosse um maná que ele, pelo seus belos olhos, estivesse trazendo dos céus para salvar o país.

Tanto que nunca esquece de dizer que o imunizante é do Brasil.

Orientou os militantes do PSDB paulista a espalhar que de 10 doses distribuídas no país, 8 vêm do governo de São Paulo. É a forma que encontrou para desgastar o fascista que ajudou a colocar no Palácio do Planalto.

João Doria mandou as escolas voltarem às aulas presenciais, autorizou a abertura de igrejas e outras atividades, tudo por cálculo político e para atender pequenos grupos de interesses.

Dá para acreditar que está assim tão preocupado com a saúde da população?

Os hospitais de campanha que foram desmontados no ano passado viraram lenda, e semanas atrás São Paulo vivia o caos inclusive nos hospitais de classe AAA.

Passou da hora de São Paulo e o Brasil debaterem João Doria de forma crítica. Ele já deu mostras suficientes de que é mais um alpinista ambicioso. Está longe do governante digno e dotado de verdadeiro espírito público – lembrem que prefeito de São Paulo ‘inventou’ uma ração humana para dar aos pobres e mandava acordar, em pleno inverno, os moradores de rua com jatos d´água.

Que fale da vacina, mas que tenha postura com relação às demais medidas necessárias para conter a onda da pandemia e pare de palhaçada. Virar garoto propaganda da Coronavac não é suficiente para transformá-lo em alguém decente.

O Brasil precisa de muito mais, e só alguém com dignidade e espírito público pode nos conduzir ao futuro que todos esperamos. Pelo exemplo que vem dando, essa pessoa definitivamente não é João Doria.

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!