“O Rio precisa de emprego”, diz Bebianno ao DCM sobre candidatura a prefeito pelo PSDB. Por José Cássio

Gustavo Bebianno, João Doria e Mariana Ribas Foto: Divulgação

“O Rio precisa gerar emprego”, diz ao DCM Gustavo Bebianno, ex-secretário Geral da presidência. “Esse é o foco principal: geração de riqueza para a população”.

Conhecido por ter sido “fritado” por Bolsonaro quando o presidente se recuperava de uma cirurgia e ficou entre a vida e a morte numa UTI do hospital Albert Einstein, em São Paulo, Bebianno será anunciado na manhã desta quinta, 5, candidato do PSDB à prefeitura do Rio pelo governador João Doria.

“Eleição é o resultado de uma conjunção de fatores. O principal é a população compreender que o Rio precisa de novos rumos, novas caras, nova gestão”, diz o ex-auxiliar de Bolsonaro que migrou para o tucanato. “A cidade precisa resgatar a sua auto-estima”.

Mesmo tendo disputado a legenda com Mariana Ribas, ex-secretária de Cultura Crivella, Bebianno diz que não leva em consideração essa eleição.

“O que tiver que ser, será”, diz. “Represento uma nova e diferente opção para a cidade que amo e onde nasci. Tenho certeza que posso ajudar a melhorar a vida dos cariocas”.

Novato em disputas, diz que tem em seu favor o fato de ter participado de diversas eleições, inclusive a vitoriosa de Jair Bolsonaro.

“Trabalharei para ter o meu próprio mandato, pois só assim terei a certeza de que farei o que precisa ser feito em benefício da população do Rio”.

Bebianno será anunciado candidato logo mais pelo governador de São Paulo, que para acalmar os ânimos no PSDB do Rio vai arrumar um “cargo” para Mariana Ribas na estrutura do setor Cultural no Estado.