O VÍDEO em que o irmão expõe as entranhas de Sara Winter, a fraude que só deu certo na onda do bolsonarismo

Sara Winter é uma fraude que só deu certo na onda do bolsonarismo, que empoderou a ignorância no Brasil. Não é uma acusação, é uma constatação.

Basta ver seus vídeos na rede social.

Tem um em que aparece seminua para tentar uma vaga no Big Brother Brasil de sete anos atrás, mas foi rejeitada.

Depois, anunciou uma suposta conversão e passou a pregar em igrejas, onde ataca o irmão, Diego Giromini, a quem acusa de ser ligado ao PCC e viciado em drogas.

“Ele colocou um cano de um revólver na minha boca e disse vai embora. Eu saí no mesmo instante, com a roupa do corpo”, diz ela, no filme que a milícia digital está divulgando, produzida pelo mesmo diretor que colocou a vida de Olavo de Carvalho nas telas.

No trailer, Sara Winter aparece no seu momento auge. Ela caminha em direção à sala de Damares Alves no Ministério da Família, Mulher e Direitos Humanos.

A ministra caminha em sua direção e a abraça.

Tudo montado, mas este não é o maior problema.

A jovem que assumiu um cargo no governo federal passou a fazer ameaças contra a democracia e instituições da república, ao assumir a liderança do chamado 300, grupo miliciano que está acampado em Brasília para ajudar Bolsonaro a desestabilizar a república.

No seu vídeo recente mais agressivo, ameaçou infernizar até a vida das empregadas domésticas do ministro do STF. “Você não terá paz”, disse, com a boca torta, parecendo transtornada.

Melhor do que qualquer para falar sobre Sara é o irmão, Diego, um jovem interiorano que é lutador e instrutor de MMA. Não tem o perfil de bandido que a irmã apresenta a platéias de religiosos ingênuos.

No primeiro vídeo que gravou, em 2016, em resposta a postagens em que ela o acusava de ser viciado e traficante, ele contou quem é Sara Fernanda Giromini.

Deixou o filho para ser criado com a mãe e o usou em uma transmissão de vídeo. Para isso, segundo o irmão, a mãe, avó do garoto, teve que levá-lo ao Rio de Janeiro.

O vídeo é uma triste cena familiar. Mas foi necessário, segundo Diego, para repor a verdade.

Sara Winter levou para a esfera pública parte de suas entranhas e parece querer fazer do Brasil o que tentou fazer com a família: destruir.

Ao que parece, com a resistência do irmão, não conseguiu.

Também não conseguirá com o país.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!