‘Obama é o mascote negro de Wall Street”

West e Obama na campanha eleitoral

“O irmão Obama se tornou um mascote negro dos oligarcas de Wall Street e uma marionete negra dos plutocratas das grandes corporações. E agora ele se tornou o comandante da máquina americana de matar e está orgulhoso disso.”

É uma avaliação evidentemente dura, nascida não apenas do desempenho medíocre de Obama na Casa Branca – mas, mais ainda, das expectativas absurdamente elevadas que o cercaram ao se sagrar o primeiro presidente negro dos Estados Unidos.

Básico: se você não quer viver frustrado, e isso vale para todas as áreas, do casamento à carreira, reduza, modere suas expectativas.

De toda forma.

Convém prestar atenção naquela avaliação, bem captada pelo historiador britânico Kenneth Maxwell em sua coluna na Folha. O autor é um líder negro americano, Cornel West, professor da prestigiosa Universidade Princeton. É um homem de esquerda, com uma exuberante cabeleira black power, e esse desconto deve ser dado em sua visão de Obama.

E é também um homem ingênuo. Militou na campanha de Obama e acreditou que ele pudesse efetivamente mudar as coisas nos Estados Unidos. Sim, podemos.

Mas.

Mas Wellington poderia ter dito ao professor sua frase clássica, diante das esperanças depositadas tão entusiasmadamente  em Barack Obama: “Quem acredita nisso, irmão West, acredita em tudo”.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!