Obrigatória, mas nem tanto. Por Moisés Mendes

Vacinação

O Supremo decidiu que a vacinação contra a Covid-19 pode ser exigida pelo governo federal e por Estados e municípios.

Isso não significa que a vacina será compulsória, até porque nem teria como sair atrás de mais de 40 milhões de pessoas que não pretendem se vacinar.

Ficou assim: se quiserem, os governos podem definir em lei e normas as restrições a quem não se vacinou.

Por exemplo: sem prova de que se vacinou, uma pessoa não poderia frequentar espaços públicos de uso coletivo. Ou não poderia atuar na área da saúde, ou não entraria naquele cercado do Alvorada onde fica a claque do Bolsonaro.

Resumindo: não vai dar nada. Porque Bolsonaro e muitos governadores (talvez a maioria) preferem a gandaia geral. Alguém acredita que algum governador ou prefeito vai impor ou propor normas de restrição?

Eu duvido. Espero estar errado.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!