OCDE: Washington não precisa de mais uma republiqueta. Por Gilberto Maringoni

Presidente dos EUA, Donald Trump se encontra com presidente do Brasil, Jair Bolsonaro | Jim WATSON / AFP

Bolsonaro teve hoje sua maior derrota no plano internacional, com a negativa dos EUA em patrocinar a entrada do Brasil na OCDE. Mais do que isso, pode ter acabado aqui toda a lógica da política externa olavista, que tinha em Washington sua estrela guia e numa subordinação acrítica ao Departamento de Estado sua meca.

Trump não precisa de alguém que lhe diga “I love you”, mas de quem que dê suporte à Doutrina Monroe repaginada, depois de quase duas décadas em que a América Latina ficou secundarizada nos radares da Casa Branca.

A nova política imperial necessita de articulação efetiva para reduzir áreas de atrito no continente, em especial em relação à Venezuela e às novas turbulências que surgem no Equador e no Peru. A renúncia do Brasil ao papel de mediador regional – política gestada desde Rio Branco, com poucas interrupções – não interessa a Trump.

Bolsonaro reduziu o país a uma republiqueta na arena global. Washington mostrou hoje não precisar disso.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!