“Onde foi parar o jogo bonito de vocês?”: o depoimento de um alemão fã do futebol brasileiro

brasil alemanha

 

Ninguém sente prazer com a morte do jogo bonito do Brasil e sua aniquilação pela Alemanha. O esmagador placar de 7 a 1 representa uma virada triste no esporte ou pelo menos uma ruptura decisiva na nossa compreensão tradicional do equilíbrio de poder do jogo.

Foi uma blitzkrieg no campo – três gols em cinco minutos, quatro gols em menos de 7 minutos – e, quando o adversário é o Brasil, e não a Polônia ou a Islândia, algumas questões sérias devem ser levantadas.

É impossível conceber o peso de uma derrota com essas proporções históricas – a primeira de vocês em casa desde 1975. Aconteceu tão rápido que ninguém podia acreditar que estava acontecendo.

Sua nação estava tão atordoada assistindo os enxames de atacantes alemães cortando o gramado quanto o resto do mundo assistindo o jogo na TV.

Este foi o choque do novo. Este foi um triunfo de uma estratégia inteligente que representa os valores tradicionais do futebol alemão – o trabalho em equipe, a dedicação e o equilíbrio psicológico.

Nós todos sabemos que esse não era um grande time brasileiro. Sabemos também que, além de Neymar, o Brasil não tinha nenhum outro atacante de classe mundial. Sua ausência certamente criou um vácuo na equipe.

Mas quando uma grande nação do futebol entra em colapso de uma forma tão patética, torna-se mais difícil para os vencedores se alegrar em seu triunfo. Ninguém na Alemanha está pensando que temos atletas maravilhosos ou um estilo de jogo mais bonito. Mas a Alemanha tem melhores jogadores e uma crença avassaladora em si mesma que só cresceu diante da emasculação transcendental do lado brasileiro.

A Alemanha mantém o Brasil na mais alta consideração. Nós respeitamos a graça e a grandeza de lendas como Garrincha, Sócrates, Pelé, Rivelino e tantos outros. Sabemos também de experiência própria — quando o Brasil de Ronaldo nos despachou na Copa do Mundo de 2002 com facilidade – que vocês ainda são o celeiro dos jogadores mais talentosos do mundo.

Mas este ano vocês tinham um time ruim e um péssimo treinador. Não ponham toda a culpa em Fred. David Luiz jogou ainda pior que ele e seu meio de campo é culpado de uma rendição que teria envergonhado até mesmo o exército italiano na Segunda Guerra Mundial.

O Brasil vai renascer das cinzas desta derrota devastadora. Vai encontrar uma maneira de reconstruir sua equipe e mudar suas táticas. Todos vão se alegrar quando vocês começarem a jogar bonito novamente. O mundo ama o Brasil. Mas é hora de trazer de volta a arte para o esporte que era de vocês.

 

bild

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!