Os 10 Maiores Guitarristas da História: o quarto é Eddie Van Halen

Ele foi o precursor de uma técnica que mudaria a história da guitarra para sempre.

Imagine o seguinte cenário: Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic são dominantes no tênis, mas, numa edição ensolarada de Wimbledon, um novato chega jogando com duas raquetes (considere, obviamente, que não há nenhuma regra contra).

Foi mais ou menos isto que fez Eddie Van Halen ao lançar a música Eruption em seu primeiro álbum, de 1978. Com ela, Van Halen mudara totalmente as técnicas tímidas de tapping (ou two hands) existentes até então, e a popularizaria. Desde então, toda uma geração virtuosa o seguiria.

Este primeiro álbum chegou a fazer sucesso com Ain’t Talking ‘Bout Love. Mas o topo do mundo veio 6 anos depois com o álbum MCMLXXXIV, de 1984. Com Jump e Panamá, este álbum chegaria em 2.o nos charts americanos e precederia uma seqüencia de 4 primeiros lugares, sendo o último em 1995 com I Can’t Stop Loving You.

Junto com Chuck Berry e Jimi Hendrix, Eddie foi o maior revolucionário da guitarra. Isto não quer dizer o melhor guitarrista, obviamente – há outras variáveis envolvidas. Mas as portas que este senhor abriu aos guitarristas é algo de extraordinário.

Leia mais: Os 10 maiores guitarristas da história do rock. BB King é o quinto.

Van Halen do jeito que gostava: com as duas mãos no braço.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!