Os preços vão baixar por falta de consumidor, não por ações de Bolsonaro. Por Fernando Brito

O presidente Jair Bolsonaro – Evaristo Sa/AFP

PUBLICADO NO TIJOLAÇO

POR FERNANDO BRITO

O governo diz que está investigando o aumento do preço do arroz, atrás de supostas manipulações do preço do produto.

Claro que é inócuo e já não estamos mais nos anos 50, quando os atacadistas – na época, com o apelido de “tubarões da Rua do Acre”, onde vários deles tinham sede, no Rio – quando escondiam-se as sacas do cereal em galpões.

É só olhar o gráfico publicado hoje na Folha para ver que tudo subiu e a exceção das carnes só ocorre porque seu grande pique de alta foi dezembro, o que a deixou estável – e cara – em 2020.

O nome do aumento é dólar, “produto” que subiu 30% desde o início do ano.

Há, sim, outros fatores que contribuem, como o auxílio-emergencial e a perda dos estoques reguladores governamentais, mas a inflação dos preços do atacado.

O Índice Geral de Preços da Fundação Getúlio Vargas, divulgado hoje, marcou uma alta de 4,41%, puxado pelo Índice de Preços do Atacado: 6,14% em um mês, acumulando alta de 20,4% no ano.

E, no atacado, a subida ainda é mais forte nos produtos agropecuários: 7,16% no mês, 26,17% desde janeiro e 39,59% acumulado em 12 meses.

É óbvio que isso vai se refletir nos preços ao consumidor, que não se sustentam nos baixos índices que ainda remanesce, na faixa de 0,3% ao mês.

No grau de abertura da economia brasileira, sobretudo desde que se adotou a liberdade cambial, preços sempre guardarão relação com o valor do dólar e a conta exportação mercado interno.

Enquanto o dólar se mantiver no patamar atual, não haverá refresco nos preços internos. Ao contrário, ele tenderá a seguir subindo, até ser contido pela inevitável queda do poder de compra que virá adiante, com o fim das medidas emergenciais.

Os preços vão baixar por falta de consumidor, não pela polícia nos silos de armazenamento, infelizmente.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!