Pai de auditor do TCU ganhou cargo na Petrobrás e se reuniu com Bolsonaro

Fachada do prédio do Tribunal de Contas da União (TCU), em Brasília – Leopoldo Silva – 2.fev.18/Agência Senado

Ricardo Silva Marques, pai do servidor Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques – investigado no Tribunal de Contas da União (TCU) após fazer um relatório extraoficial que questionava o número de mortes por Covid-19 no país – ganhou cargo na Petrobras durante a atual gestão do governo federal e já se reuniu ao menos três vezes com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Coronel do Exército Brasileiro, Ricardo Marques foi nomeado gerente-executivo de Inteligência e Segurança Corporativa da Petrobras em 2019.

Antes de assumir a função na Petrobras, o militar foi gerente de segurança corporativa do Bondinho do Pão de Açúcar e desempenhou o mesmo cargo no BNDES.

Desde então, o coronel já se reuniu três vezes com Bolsonaro, no Palácio do Planalto. Os encontros foram realizados em 11 de junho de 2019, em 27 de dezembro de 2019 e em 29 de janeiro de 2020.

Durante a pandemia, Ricardo Marques se reuniu com o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) e com a assessoria dele.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!