Parece consolidado o cenário de segundo turno entre Bozo e o PT. Por Luís Felipe Miguel

Fernando Haddad e Jair Bolsonaro. Foto: AFP

PUBLICADO ORIGINALMENTE NO FACEBOOK DO AUTOR

Com a pesquisa Ibope de hoje, parece consolidado o cenário de segundo turno entre Bozo e o PT. A mídia boicota, o TSE proíbe, mas não adianta: Haddad, Andrade, Dadinho, seja quem for, está se tornando o representante de Lula na eleição e isso rende o apoio esperado.

Ciro mantém heroicamente os 11% do levantamento anterior, um resultado surpreendente diante da pouca estrutura de sua campanha, mas perde seu argumento final – o de que seu desempenho num eventual segundo turno contra o fascista seria melhor que o de Haddad.

A Alckmin não resta outro papel que o de coveiro do PSDB, partido que foi vitimado pelo próprio oportunismo e mesquinhez. A decadência ainda mais acentuada de Marina é a justa paga por sua falta de fibra e de ética como liderança política.

A pretensa onda Amoêdo, que nunca foi mais do que o reflexo do investimento pesado de dinheiro na campanha para determinados nichos, parece ter sumido sem deixar rastros. Preocupante para o banqueiro laranja, que no momento, segundo a imprensa, já negocia um cargo no ministério do Bozo, mas precisa de alguns votos para sustentar a barganha.

Mas esse é só o cenário eleitoral. Com a decadência acelerada da civilidade política no Brasil que o golpe instigou, é preciso olhar também para o que acontece em outros lados, como os quartéis.

Fazer campanha e votar são só um passo. Tem que mostrar na rua que um novo golpe não passará.

.x.x.x.

(Edit.: Agora há pouco Amoêdo negou que negocie um ministério do Bozo. Tá certo, é ruim se queimar assim sem nem saber se o cara vai ganhar.)

 

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!