“Paulo Pinochet só ataca professores, enfermeiros, funcionários de balcão”, diz Pedro Cardoso sobre Guedes

Pedro Cardoso. Foto: Reprodução/Instagram

Publicado originalmente no Instagram do autor

POR PEDRO CARDOSO, ator

Bom dia.

2 momentos do mesmo assunto:

1 – Paulo Pinochet chama servidores de parasitas (depois, como sempre, se emenda acusando a imprensa de haver descontextualizado a afirmação)

2 – Corregedoria da PM de SP diz que policiais não cometeram irregularidades na tragédia de Paraisópolis. Teriam agido em legítima defesa. A notícia é vazada pelo El País Brasil.

É provável que alguns funcionários públicos sejam negligentes mas eu posso jurar que nós os encontraremos no topo da pirâmide do funcionalismo; serão eles juizes, desembargadores, ministros, deputados e senadores, comandantes etc. Nos contatos que tenho tido com servidores pobres tenho encontrado, quase sempre, pessoas dedicadas, trabalhando sob grande pressão pois servem a uma burocracia pesada e que seria desnecesária mas é justamente através dela que os Senhores do Estado nos mantém reféns. Paulo fabrica versões da realidade que interessam aos seus negócios. Volta sempre a insistir na capitalização da previdência pois esse é o seu ramo de atividade.

Típico nazifascista entusiasta do AI-5 que se vende como sábio da economia. Um traidor da realidade. A polícia sempre se inocenta de seus crimes. É para isso que existem tribunais militares e corregedorias. Esses sim são funcionários públicos que trabalham mal, pouco e a serviço de si mesmos e não do país. A polícia tem que ser julgada por civis. Só assim conhecerá algum limite. O mesmo para políticos. O civil deveria ter meios de investiga-los e condena-los e retirar-lhes os mandatos. Mas não é assim. Eles mesmos se julgam. A esses funcionários públicos do alto do poder, Paulo Pinochet não enfrenta. Ele os teme.

O nazifascismo brasileiro ambiciona instalar uma ditadura religiosa militar no Brasil. Sabem já que na democracia não conseguirão realizar-se na plenitude de sua doentia vontade de enriquecer e matar. Para isso estão se armando literalmente. O regime q planejam se imporá militarmente ao povo.

Paulo Pinochet, como todo covarde, só ataca pessoas desarmadas: professores, enfermeiros, funcionários de balcão. O desejo de se impor fisicamente ao outro é resquício da animalidade da qual a razão busca nos diferenciar.

View this post on Instagram

Bom dia. 2 momentos do mesmo assunto: 1 – Paulo Pinochet chama servidores de parasitas (depois, como sempre, se emenda acusando a imprensa de haver descontextualizado a afirmação) 2 – Corregedoria da PM de SP diz que policiais não cometeram irregularidades na tragédia de Paraisópolis. Teriam agido em legítima defesa. A notícia é vazada pelo El País Brasil. É provável que alguns funcionários públicos sejam negligentes mas eu posso jurar que nós os encontraremos no topo da pirâmide do funcionalismo; serão eles juizes, desembargadores, ministros, deputados e senadores, comandantes etc. Nos contatos que tenho tido com servidores pobres tenho encontrado, quase sempre, pessoas dedicadas, trabalhando sob grande pressão pois servem a uma burocracia pesada e que seria desnecesária mas é justamente através dela que os Senhores do Estado nos mantém reféns. Paulo fabrica versões da realidade que interessam aos seus negócios. Volta sempre a insistir na capitalização da previdência pois esse é o seu ramo de atividade. Típico nazifascista entusiasta do AI-5 que se vende como sábio da economia. Um traidor da realidade. A polícia sempre se inocenta de seus crimes. É para isso que existem tribunais militares e corregedorias. Esses sim são funcionários públicos que trabalham mal, pouco e a serviço de si mesmos e não do país. A polícia tem que ser julgada por civis. Só assim conhecerá algum limite. O mesmo para políticos. O civil deveria ter meios de investiga-los e condena-los e retirar-lhes os mandatos. Mas não é assim. Eles mesmos se julgam. A esses funcionários públicos do alto do poder, Paulo Pinochet não enfrenta. Ele os teme. O nazifascismo brasileiro ambiciona instalar uma ditadura religiosa militar no Brasil. Sabem já que na democracia não conseguirão realizar-se na plenitude de sua doentia vontade de enriquecer e matar. Para isso estão se armando literalmente. O regime q planejam se imporá militarmente ao povo. Paulo Pinochet, como todo covarde, só ataca pessoas desarmadas: professores, enfermeiros, funcionários de balção. O desejo de se impor fisicamente ao outro é resquício da animalidade da qual a razão busca nos diferenciar. Por isso eles queimam livros.

A post shared by Pedro Cardoso (@pedrocardosoeumesmo) on

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!