Pazuello volta a mentir e dizer que aplicativo que receitava cloroquina foi hackeado

Pazuello. Foto: Flickr/Senado

Na CPI da Covid, Eduardo Pazuello voltou a dizer que o TrateCov, aplicativo que receitava cloroquina até para crianças e até animais, foi hackeado.

À época da polêmica, a mesma desculpa foi dada, dizendo que o aplicativo foi colocado no ao ar indevidamente.

É mentira.

No dia 14 de janeiro, o próprio Ministério da Saúde propagandeou o aplicativo pelo Twitter, dizendo ser uma ferramenta que “dá autonomia a profissionais habilitados p/ encaminharem o atendimento de acordo c/ a individualidade do paciente” (sic).

Ministério da Saúde divulga o TrateCov

A publicação, no entanto, foi excluída do Twitter da pasta, mas é possível consultá-lo pelo Wayback Machine.

Omar Aziz ironizou a fala do ex-ministro, dizendo que o hacker que colocou o aplicativo no ar é tão competente que conseguiu veicular uma propaganda na TV Brasil.

O vídeo ainda está no ar:

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!