Pessoas com inteligência emocional mais baixa são propensas a ser de direita, constata estudo

Carlos Bolsonaro fotografa o pai numa maca

A matéria saiu no PsyPost, portal especializado em psicologia:

Novas pesquisas da Bélgica fornecem evidências de que os déficits no entendimento das emoções e no gerenciamento das emoções estão relacionados a atitudes de direita e preconceituosas. O estudo foi publicado na revista especializada Emotion.

“Eu tenho um interesse ao longo da vida em psicologia política e em ideologia política em particular. A observação de que adeptos de esquerda e de direita tendem a diferir em tantas características psicológicas é surpreendente ”, disse o autor do estudo Alain Van Hiel, professor da Universidade de Ghent.

“Muitos estudiosos investigaram a base cognitiva da ideologia em geral e as atitudes ideológicas da direita em particular. No presente estudo, queríamos investigar se um relacionamento semelhante existiria para habilidades emocionais. ”

Em dois estudos, os pesquisadores avaliaram as habilidades emocionais e a ideologia política de 983 estudantes belgas. O segundo estudo também examinou a capacidade cognitiva dos participantes.

A capacidade emocional foi medida com três testes: o Teste Situacional de Entendimento Emocional, o Teste Situacional de Gerenciamento de Emoções e o Teste de Reconhecimento de Emoções.

Os pesquisadores descobriram que indivíduos com habilidades emocionais mais fracas – particularmente compreensão e gerenciamento emocional – tendem a pontuar mais alto em uma medida de autoritarismo de direita e orientação de dominância social.

O autoritarismo de direita é um traço de personalidade que descreve a tendência de se submeter à autoridade política e de ser hostil a outros grupos, enquanto a orientação de domínio social é uma medida da preferência de uma pessoa pela desigualdade entre os grupos sociais.

“Os resultados deste estudo foram unívocos. Pessoas que apóiam autoridade e líderes fortes e que não se importam com a desigualdade – as duas dimensões básicas subjacentes à ideologia política de direita – mostram níveis mais baixos de habilidades emocionais ”, disse Van Hiel ao PsyPost.

Aqueles com habilidades cognitivas e emocionais mais baixas também estavam mais propensos a concordar com declarações descaradamente preconceituosas, como “a raça branca é superior a todas as outras”. (…)

“Os resultados foram obtidos em um contexto particular. Resultados semelhantes seriam obtidos em outros contextos além de um país ocidental com uma democracia estável de longa data? Se essas tendências são universais ou limitadas a contextos particulares, é muito intrigante.”

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!