Poema de despedida. Por Frei Betto

Lula e seu netinho Arthur. Foto: Ricardo Stuckert

Publicado originalmente no Instagram oficial de Lula, em homenagem ao seu netinho Arthur que faleceu aos 7 anos

POEMA DA DESPEDIDA

Você pode derramar lágrimas porque ele se foi
Ou pode se alegrar por ele ter vivido.

Você pode fechar os olhos e desejar que ele volte
Ou abrir os olhos e ver tudo que ele deixou.

Seu coração pode estar vazio porque agora você não pode vê-lo
Ou ficar repleto do amor que compartilharam.

Você pode voltar as costas ao futuro e viver do passado
Ou ser feliz no futuro por causa do passado.

Você pode se lembrar dele e de que ele se foi
Ou cultivar com carinho a sua memória para que ele permaneça.

Você pode chorar e se fechar, isolar-se e se queixar
Ou fazer o que ele gostaria: sorrir, abrir os olhos e prosseguir.

Frei Betto

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!