Policiais apontaram armas para mim só por eu ser negro’, diz ator da Globo

Conforme publicação do Notícias da TV, Pedro Maya protagonista de Malhação lembra de uma situação em especial: quando policiais o pararam na rua de sua casa e apontaram armas para a sua cabeça. Ele classifica a cena como a mais traumática de sua vida.

“Eu estava correndo na rua e fui parado por dois policiais que estavam em uma moto. Mandaram eu botar a mão na cabeça e aí sacaram a arma. Eu tinha 17 anos e os policiais apontaram armas para mim só por eu ser negro. Já vi casos de brancos correndo e que nunca foram parados pela polícia. Pelo contexto social que a gente vive no Brasil, com certeza fui parado por ser negro”, diz.

Pedro conta que os policiais foram ríspidos na abordagem. Revistaram-no e fizeram diversas perguntas. E a justificativa para ele ser interpelado de tal maneira era pelo simples fato de estar correndo.

“Tinha saído do banco, aí eu precisava pagar uma conta. Estava com a minha mãe, deixei ela no banco, e fui para casa pegar os meus documentos. Voltando pra casa eu fui abordado. Já fui parado em outras vezes em que eu era o único negro do bonde, e o único parado e revistado fui eu. Não tem como não enxergar como racismo explícito. É estrutural o racismo”, avalia.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!