Por que Biden mandou matéria-prima da vacina para a Índia e não o Brasil, segundo especialista da FGV

Biden e Bolsonaro. Foto: Getty Images

Mesmo o Brasil sendo epicentro da pandemia do novo coronavírus, o presidente americano Joe Biden enviou matérias-primas para produção de vacina para a Índia, mas não ao país de Jair Bolsonaro.

Segundo Oliver Stuenkel, professor de Relações Internacionais da FGV em São Paulo, há quatro motivos para a decisão:

1) A diáspora indiana nos EUA é bem organizada e politicamente ativa. Por exemplo, o “lobby indiano” foi crucial para convencer o Congresso dos EUA a apoiar o acordo nuclear com a Índia em 2006

A diáspora brasileira nos EUA, em comparação, não só é menor, mas também carece do mesmo poder de organização ou influência (existem muitas razões para isso, mas uma é que o governo brasileiro não considera os brasileiros que vivem no exterior como um ativo estratégico).

As elites indianas são muito bem conectadas em Washington e montaram uma verdadeira operação de guerra ao longo dos últimos dias. Políticos, intelectuais, artistas e CEOs indianos ligaram para seus contatos nos EUA, pedindo o envio do material.

2) Embora o primeiro-ministro da Índia, Modi, e o presidente do Brasil, Bolsonaro, sejam ambos fãs de Trump, tenham ambições autoritárias, estejam minando ativamente suas democracias e não tenham boa reputação em Washington, Modi foi pragmático quando Biden chegou ao poder.

Bolsonaro, por sua vez, disse acreditar que a eleição nos Estados Unidos foi fraudulenta e se recusou por muito tempo a parabenizar Biden. Bolsonaro, em poucas palavras, está fazendo de tudo para complicar a vida daqueles em Washington que defendem a relação Brasil-Estados Unidos.

3) A relevância estratégica da Índia para os EUA é incomparável – sua economia é maior que a do Brasil, é um parceiro comercial mais importante e é um aliado para conter a China. Políticos indianos podem acessar os mais altos escalões do poder em DC de uma forma que os brasileiros não conseguem.

4) Como grande produtora de vacinas, a Índia planejou exportar milhões de doses para países pobres, mas agora as exportações cessaram. Isso, e o fato de que a população da Índia é mais de 6 vezes maior que a do Brasil, ajudou os negociadores indianos na hora de pedir ajuda dos EUA.